ASSINE
O cotidiano das nossas cidades, a cultura, a política, a economia e o comportamento da sociedade estão no foco da coluna, que também acompanha de perto as políticas públicas e suas consequências para os cidadãos

Bandidos ameaçam "bala" em moradores a 400m da PM em Vitória

Recado dos criminosos está pichado na entrada principal do tradicional bairro da Capital

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 03/03/2021 às 14h25
Atualizado em 03/03/2021 às 17h29
O recado ameaçador na entrada principal da Ilha do Príncipe
O recado ameaçador na entrada principal da Ilha do Príncipe. Crédito: Ricardo Medeiros

Morar, trabalhar ou conviver a 400 metros de distância de um destacamento da Polícia Militar deveria ser motivo de relativa tranquilidade em relação à segurança, certo? Deveria, mas em Vitória parece que a proximidade com as forças policiais não está sendo suficiente para levar paz e tranquilidade às pessoas.

É o que está acontecendo na Ilha do Príncipe, onde uma grande pichação na entrada principal do bairro ameaça, de forma descarada, quem passa por ali: “Abaixe o farol. Sujeito a bala”. Um Estado dentro do Estado?

A ousadia dos criminosos é ainda mais chocante ao se constatar que o recado ameaçador está estampado a 400 metros, a pé, do Destacamento da Polícia Militar da Vila Rubim, inaugurado há pouco mais de um ano, em cerimônia que contou a presença do governador Casagrande (PSB) e do então prefeito Luciano Rezende (Cidadania).

A Ilha do Príncipe, definitivamente, está cercada pela violência. No ano passado, o tradicional bairro na entrada Sul de Vitória foi palco de cinco homicídios. O local é tão violento que faz parte do Programa Estado Presente, menina dos olhos da administração Casagrande e que tem como meta combater a violência com programas sociais e ação policial em regiões de grande vulnerabilidade social.

O mapa mostra a distância do local da pichação até a unidade da PM: apenas 400 metros
O mapa mostra a distância do local da pichação até a unidade da PM: apenas 400 metros. Crédito: Google Maps/reprodução

Mas parece que os bandidos não estão sabendo de nada disso. E nem os moradores, que continuam refém dos criminosos, como mostra a vergonhosa e humilhante pichação na parede logo no início da Avenida Jurema Barroso, no acesso principal ao bairro.

E é na Ilha do Príncipe que o governo do Estado começou, em agosto do ano passado, uma das suas obras mais vistosas: o Portal do Príncipe, um conjunto de intervenções viárias e urbanísticas, no valor de R$ 42 milhões, que tem como objetivo solucionar o gargalo de trânsito na entrada Sul da Capital. A obra deve ser concluída no primeiro semestre do ano que vem.

Que bom, a Ilha do Príncipe terá uma nova entrada para a Ilha de Vitória, mas o que os moradores querem mesmo é uma saída para essa onda de terror e criminalidade que traz tanta insegurança à comunidade. Que a Ilha do Príncipe se torne - pelo menos - uma ilha de paz.

Atualização

3 de Março de 2021 às 17:16

Menos de duas horas depois desta publicação, o prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini, determinou que uma equipe da PMV fosse ao local e apagasse a pichação dos criminosos. A matéria completa está aqui.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.