ASSINE
Colunista do jornal A Gazeta e do Gazeta Online

Aplicativo da Cesan identifica imóveis não ligados à rede de esgoto

A empresa de saneamento criou um aplicativo que permite o acesso pela internet à base de dados georreferenciada de todas as ligações de esgoto existentes nos municípios

Publicado em 02/07/2019 às 19h53
Esgoto a céu aberto, no bairro de Colatina Velha, em Colatina. Crédito: Reprodução/TV Gazeta Noroeste
Esgoto a céu aberto, no bairro de Colatina Velha, em Colatina. Crédito: Reprodução/TV Gazeta Noroeste

As prefeituras dos 52 municípios atendidos pela Cesan agora têm uma ferramenta para fiscalizar os imóveis que ainda não estão ligados às redes de esgoto. A empresa de saneamento criou um aplicativo que permite o acesso pela internet à base de dados georreferenciada de todas as ligações de esgoto existentes nos municípios.

Como funciona

Com essa ferramenta, restrita às prefeituras, os agentes municipais podem visualizar no mapa onde estão os imóveis que têm o serviço de esgoto disponível, mas ainda não foram ligados às redes. O acesso a essas informações facilita a atividade das prefeituras de notificar os imóveis.

Como solicitar

Para acessar o programa, basta que o município solicite o convênio de cooperação técnica à Cesan. O serviço está disponível para todas as cidades que já regularizaram o Contrato de Programa com a companhia. A empresa oferece ainda o treinamento das equipes municipais que vão utilizar o software.

Que país é este?

Leitor da coluna foi ontem a um cartório em Vila Velha para fazer o famoso “reconhecimento de firma”, essa excrescência que existe desde que Cabral aportou por estas plagas.

Depenado

O simples ato burocrático custou R$ 6,75. Com as seguintes taxas e impostos embutidos: cartório (R$ 5,35); Funepj (R$ 0,54); Fadespes (R$ 0,27); Funemp (R$ 0,27); Funcad (R$ 0,27); ISS (R$ 0,11).

Ah, bom!

Ah, tem uma notícia boa: o valor total era R$ 6,81, mas houve um generoso desconto (por falta de troco) de R$ 0,06.

Errado, multado

Morador de Vitória foi multado ao estacionar o carro em local proibido e, mesmo avisando que seria rápida sua ida na padaria do Barro Vermelho, o guarda fez o seu trabalho e não o poupou. O motorista não reclamou porque sabia estar errado.

Errado, ...

Acontece que o cidadão multado voltou ao local e quem estava estacionado no mesmo local proibido? Uma viatura da Guarda Municipal, enquanto os agentes lanchavam na padaria. Faça o que eu digo, mas....

Ação entre amigos

A Assembleia vai conceder a “Comenda do Mérito Agrícola” ao governador Casagrande, ao deputado federal Evair de Melo e ao secretário de Agricultura, Paulo Foletto.

Viagem com cheirinho

Tem gente reclamando que alguns motoristas de aplicativos estão almoçando em seus carros e o cheiro está ficando no veículo.

Fim da farra

Será votado hoje o projeto de lei do vereador Roberto Martins (PTB) que acaba com os projetos de lei sobre nomes de rua em Vitória. A denominação dos logradouros passaria a ser feita por decreto do prefeito, e não pelos parlamentares.

SOS 192!

Emílio Mameri (PSDB) é o quinto deputado estadual a pedir ao governo do Estado a ampliação da Samu 192 no Espírito Santo. Conforme a coluna informou, o serviço de emergência só está presente em 18 dos 78 municípios.

O que diz a OAB

Sobre as notas “O normal” e “O esquisito”, publicadas ontem, a OAB-ES informa que em seu formulário de pagamento de prestador de serviço consta o item raça/cor porque o governo federal assim o exige. A informação, segundo a Ordem, compõe a Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Até quando?

O Ginásio Poliesportivo Leandro Arpini, no bairro Conceição, em Linhares, foi alvo de vandalismo pela 20ª vez neste ano. O prejuízo aos cofres públicos de janeiro até agora já chega aos R$ 30 mil.

Até quando? 2

O último ato de insanidade coletiva aconteceu ontem: os vândalos arrombaram os portões e quebraram as torneiras do bebedouro que foram recém-trocadas no ginásio.

O fim da farra?

Dirigentes do PSB, indignados, querem que a próxima reunião do diretório estadual, no final deste mês, discuta os inúmeros casos de parentes de caciques do partido empregados na máquina pública em cargos comissionados.

Alô, congressistas!

Se a reforma da Previdência é maravilhosa, linda e cheirosa, por que militares, policiais, Estados e municípios querem ficar fora dela?

 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Cesan

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.