ASSINE
A coluna traz uma análise do mercado automotivo, com tendências do segmento, panorama, dicas e orientações. Tem como público-alvo o cliente que compra carro, quer trocar de veículo ou quer tirar dúvida sobre a manutenção desse bem, além de leitores apaixonados pelo tema. O perfil nas redes sociais é @gabrieldeoliveirapersonalcar

Campanha publicitária do Volkswagen Polo acerta em cheio

Com público LGBTQIA+ na propaganda, a marca foi alvo de muitas críticas. Na minha avaliação, carros são bens de consumo para todas as pessoas, independentemente de cor e orientação sexual

Vitória
Publicado em 19/05/2022 às 01h59
Analisando a ação publicitária do Polo é certo que comercialmente a Volkswagen acertou em cheio.
Volkswagen faz campanha publicitária sobre o Polo com um casal gay no comercial. Crédito: Volkswagen/Divulgação

Na última semana, o assunto mais falado no mercado automotivo foi a campanha publicitária da Volkswagen referente ao Polo, que contou com um casal gay no comercial. 

Para que você tenha noção, somente o fato de eu me posicionar em meu perfil do Instagram foi motivo para que mensagens de ódio e ofensivas chegassem em meu aplicativo de mensagens.

Mas será que a marca alemã é a única a se posicionar sobre esse assunto tão polêmico? Vale abordar esse assunto com intuito de vender?

Na coluna de hoje vamos conversar sobre o resultado prático dessa campanha publicitária, meu posicionamento em relação ao público LGBTQIA+ no mercado automotivo e até no mundo automobilístico e já adianto que, na verdade, esse tipo de ação de marketing, além de não ser novidade, é comum entre algumas marcas de automóveis.

Vamos começar pelo terceiro item citado no parágrafo acima.

Em 2019, o designer e ativista Jonathon Adler criou uma estampa customizada para o BMW M850i conversível. O série 8 conversível da marca alemã foi usado em junho de 2019 no evento WorldPride, que aconteceu na cidade de Nova York e é um evento da comunidade LGBTQIA+.

Outra marcas que já aderiram a causa LGBTQIA+ são a Porsche e a Bentley.

Em 2020, as marcas fizeram ações em apoio ao evento Christopher Street Day, que ocorre todo ano nas ruas de Berlim. Nessa ocasião, a Porshe, por exemplo, associou o modelo 911 e alguns de seus funcionários ao evento. Os veículos estavam expostos lado a lado em alusão a um arco-íris de seis cores e os funcionários trajavam t-shirts com arco-íris estampados.

Porsche
No evento Christopher Street Day, a Porsche formou um arco-íris com os veículos do modelo 911. Crédito: Porsche/Divulgação

Nesse mesmo evento, a marca inglesa Bentley revelou um Continental GT Convertible pintado com as cores de um arco-íris.

Mas será que ações como essas são na verdade vantajosas comercialmente para as marcas?

Analisando a ação publicitária do Polo é certo que comercialmente a Volkswagen acertou em cheio.

De acordo com o Mercado Livre, a busca pelo modelo zero quilômetro cresceu 31% entre abril e maio deste ano comparado com o ano passado. Considerando o modelo seminovo, esse número é ainda maior representando um crescimento de 40% nas pesquisas.

Em relação a minha opinião, é certo que atitudes como essas geram resultado comercial prático, pois estamos falando de um público com ótimo poder de compra.

BMW
Jonathon Adler criou uma estampa customizada para o BMW M850i conversível. Crédito: BMW/Divulgação

Mas sendo bem sincero com você, companheiro apaixonado por carros, o que mais vale de todo esse assunto é a quebra de paradigma.

É fato que, apesar de ser primitivo, o preconceito ainda existe de maneira forte em nossa sociedade. No meio automobilístico e no mercado automotivo existe sim um machismo enraizado. Tenho certeza que você já ouviu alguém dizer que o carro "x" está todo ralado porque "é carro de mulher".

Como disse em meu Instagram, parabenizo fortemente a coragem e visão dessas marcas. Carros são bens de consumo para todas as pessoas, independentemente de cor, orientação sexual, etc. Infelizmente, não posso dizer que é algo acessível para todas as classes sociais. E esse sim é um motivo relevante para gerar descontentamento nas pessoas, o preço absurdo que pagamos nos automóveis no Brasil.

Fica a reflexão em relação ao que é realmente importante discutirmos.

Até semana que vem!

Este vídeo pode te interessar

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais
LGBTQIA+ Volkswagen Mercado Automotivo Volkswagen Polo

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.