É graduado em Direito pela Ufes e assessor jurídico do Ministério Público Federal (MPF). Questões de cidadania e sociedade têm destaque neste espaço. Escreve às sextas-feiras

Depois das fake news, inteligência artificial pode ser vilã nas eleições 2024

Assim como as redes sociais devem ser regulamentadas, o uso da inteligência artificial não pode se dar de modo inconsequente. Elas têm o dever de conciliar a inarredável liberdade de expressão com o controle de discursos de ódio

Publicado em 02/02/2024 às 01h30