ASSINE

Novembro já bateu média histórica de chuvas em Vitória e em mais 12 cidades do ES

Segundo o Incaper, a Capital capixaba é uma das cidades que já superou o volume esperado para todo o mês, que já é o período de maior registro de precipitação ao longo do ano; Aracruz puxa a fila levantada pelo instituto

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 23/11/2021 às 12h28
Chuva não dá trégua no Espírito Santo. Registro feito na orla de Camburi, em Vitória
Foi difícil pedalar e caminhar pelo calçadão da Orla de Camburi sem que a chuva não se fizesse presente em novembro. Crédito: Ricardo Medeiros

A percepção de muitos capixabas de que os dias de novembro foram mais chuvosos até aqui não ficou no achismo. De acordo com a meteorologia do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), entre os dias 1 e 21 deste mês, Vitória e mais 12 cidades do ES já registraram volumes acima da média mensal para o penúltimo mês do ano.

De acordo com os dados coletados e analisados pelo Instituto, além da Capital, Aracruz, Serra, Santa Maria de Jetibá, Ibiraçu, Anchieta, João Neiva, Guarapari, Irupi, Ibitirama, Itaguaçu, Ibatiba e São Roque do Canaã, já bateram as respectivas médias históricas. Liderando a lista, o município aracruzense observou 391,2 mm de chuvas no período, enquanto o esperado para novembro inteiro são 198 mm. Já em Vitória, choveu até aqui 277 mm, enquanto o normal para o período de 30 dias seriam 228 mm.

Neste mês, o volume médio varia entre de 200 a 250 mm, desde a região Sul seguindo por toda a faixa leste capixaba, incluindo a Região Metropolitana, e entre 150 e 200 nas demais áreas do Estado. Em valores percentuais, o Incaper aponta que os 13 municípios listados alcançaram entre uma e duas vezes acima da média climatológica esperada.

O meteorologista Hugo Ramos explicou que, mesmo se tratando do mês mais chuvoso do ano, novembro atual tem chamado a atenção. Ele elencou os motivos para que muitas regiões do ES observem precipitação bem acima das médias.

MOTIVO DAS CHUVAS FREQUENTES

"Novembro de 2021 tem sido chuvoso no Espírito Santo em função da formação de três episódios da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), que resulta em um grande volume de precipitação por todo o Estado. A ZCAS é o principal sistema meteorológico atuante neste período chuvoso, e consiste em um corredor de nuvens, que se estende entre o sul da Amazônia até o litoral do Sudeste do Brasil, onde está localizado o Espírito Santo, e que perdura por, no mínimo, quatro dias", explicou Ramos.

E O FRIO?

Atípico para a época do ano, o frio também surpreendeu até aqui. Em muitos dias, as temperaturas se aproximaram ao observado em estações mais frias e ficaram próximos dos 20 °C em regiões como a Grande Vitória. A atuação da Zona de Convergência também tem participação direta na queda da temperatura.

Primavera começa com chuva, vento e frio na Capital
O capixaba teve de tirar o agasalho do armário em muitos dias de novembro deste ano devido ao frio. Crédito: Fernando Madeira

"Durante o período em que esse tipo de sistema atua, a grande cobertura de nuvens dificulta o alcance da radiação solar (calor) à superfície, o que resulta na diminuição das temperaturas máximas no Estado. Além disso, a mudança da direção e da velocidade dos ventos contribui para uma sensação térmica mais amena", complementou o meteorologista.

O Incaper salienta que em outras cidades pode ter ocorrido um volume expressivo de chuvas e acima das médias. No entanto, em razão na demora do processamento de dados, os valores ainda não foram contabilizados.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.