ASSINE

Queiroga diz ter tido contato com Nise Yamaguchi, Carlos Bolsonaro, Wizard e Terra

Grupo é visto por membros da CPI da Covid como núcleo de assessoramento auxiliar do presidente Jair Bolsonaro em assuntos relacionados à pandemia da Covid-19

Publicado em 08/06/2021 às 13h11
Marcelo Queiroga no segundo depoimento à CPI da Covid
Marcelo Queiroga no segundo depoimento à CPI da Covid. Crédito: Jefferson Rudy/ Agência Senado

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou à CPI da Covid no Senado que teve contatos com o filho do presidente e vereador Carlos Bolsonaro, a médica Nise Yamaguchi, o empresário Carlos Wizard e o deputado federal Osmar Terra. O ministro, por outro lado, negou ter tido contato com o Arthur Weintraub – irmão do ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub –, ou com o virologista Paolo Zanotto.

O grupo, também chamado de "gabinete das sombras" ou "gabinete paralelo", é visto por membros da comissão de inquérito como núcleo de assessoramento auxiliar do presidente Jair Bolsonaro em assuntos relacionados à pandemia da Covid-19, bem como impulsionador de teorias negacionistas que podem ter levado milhares de brasileiros à morte pela doença.

"O fato desses médicos defenderem tratamento A, B, C ou D, não quer dizer que o ministro da Saúde não possa participar", disse Queiroga sobre reunião com membros do "gabinete" no qual ele enviou um representante do Ministério da Saúde. "Não quer dizer que se eu participar do evento, ratifique o que há ali, mas não participei", completou Queiroga nesta terça-feira.

Sobre a pergunta do relator, Renan Calheiros (MDB-AL), se o grupo agiria em questões do Ministério da Saúde, Queiroga negou e disse desconhecer a influência. O ministro disse que tratou com o deputado Terra de estudos sorológicos e, com a médica Nise Yamaguchi, que conversou sobre o protocolo em Cuba para uso da cloroquina a pacientes da Covid-19. "Ela me entregou, mostrou aquilo lá e eu recebi como eu recebo outras pessoas", afirmou o ministro.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.