Ministro fala em relação tranquila com China e importação da Índia

Ernesto Araújo negou que divergências políticas com o país causaram o atraso na entrega de insumos para produção de vacinas contra a Covid-19 no Instituto Butantan e na Fiocruz.

Publicado em 20/01/2021 às 17h57
Atualizado em 20/01/2021 às 18h10
O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo
O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, negou nesta quarta-feira (20), que divergências políticas com a China causaram o atraso na entrega de insumos para produção de vacinas contra a Covid-19 no Instituto Butantan e na Fiocruz.

"Temos relação madura, construtiva, muito correta, tranquila com a China", disse Araújo. "Não é um assunto político. É assunto de demanda por um produto", completou ele.

O chanceler ainda afirmou que a importação da Índia de 2 milhões de doses prontas da vacina de Oxford está "bem encaminhada".

Ele não apontou, porém, data para concretizar nenhuma das importações. O ministro participa de uma reunião fechada com deputados nesta quarta-feira.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.