ASSINE

"Meu partido é o SUS", diz servidor da Saúde que presta depoimento à CPI

O servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda afirmou que não teve indicação política para atuar na pasta e que não tem filiação partidária

Publicado em 25/06/2021 às 16h28
O depoente, chefe de importação do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, Luis Ricardo Miranda, chega ao Senado onde irá depor à CPI sobre o processo de compra da vacina Covaxin
O depoente, chefe de importação do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, Luis Ricardo Miranda, chega ao Senado onde irá depor à CPI sobre o processo de compra da vacina Covaxin. Crédito: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Ao chegar na CPI da Covid, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda afirmou que não teve indicação política para atuar na pasta e que não tem filiação partidária.

"Meu partido é o SUS", disse.

Luis Ricardo contou que foi aprovado em concurso público em 2011 e que desde 2018 chefia a área de importação do ministério.

Ele presta depoimento ao colegiado para relatar suspeitas de irregularidades no contrato da pasta com a empresa Precisa para a aquisição de doses da vacina indiana Covaxin.

Ricardo Miranda chegou nesta sexta (25) dos Estados Unidos, onde estava em missão para viabilizar a importação de doses da vacina Janssen doadas por aquele país, conforme ele próprio relatou à comissão.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.