Baleia Rossi diz defender reforma tributária, em encontro com sindicais

O candidato do MDB à presidência da Câmara se reuniu com representantes de seis centrais sindicais nesta quinta-feira (14) e recebeu uma carta de reivindicações.

Publicado em 14/01/2021 às 17h49
O deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP)
O deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP). Crédito: Reprodução Twitter

Candidato do MDB à presidência da Câmara, Baleia Rossi (SP) se reuniu com representantes de seis centrais sindicais nesta quinta-feira (14), em São Paulo, e recebeu uma carta de reivindicações com temas que vão da vacina contra a Covid-19 ao fortalecimento da organização sindical.

Após o encontro, o deputado afirmou que vê os pedidos como pertinentes e destacou a necessidade de o País ter um plano de vacinação para a retomada da economia. Da mesma forma, defendeu a votação da reforma tributária como crucial para superar a crise.

"A retomada econômica só vai ser plena com a vacina. A questão da Ford (que anunciou o fim da produção de veículos no País) preocupa. A prioridade, portanto, tem que ser a votação da reforma tributária de nossa autoria, que vai melhorar o ambiente de negócios. É um projeto que está muito maduro. A partir de fevereiro, vamos ter um amplo diálogo sobre ele."

Uma das demandas dos sindicatos é a manutenção do auxílio emergencial de R$ 600 e de medidas para pagamento de salários de trabalhadores com contrato suspenso ou com redução de jornada. Baleia afirmou: "Precisamos votar o Orçamento, esperamos que o Ministério da Economia possa buscar soluções enquanto não houver vacina ou reforço no Bolsa Família, para que possa suprir esses vulneráveis, com responsabilidade fiscal, e para não estourar as contas públicas."

Apoiado pelo PT, Baleia voltou a afirmar que sua candidatura não representa a oposição, mas, sim, "a independência" da Câmara. Seu principal adversário é Arthur Lira (Progressistas-AL), que tem apoio do Palácio do Planalto. "Nossa candidatura não é de oposição, mas é da independência. A Câmara tem que ter a defesa da democracia. Vacina tem que ser prioridade de todos."

Presidente da Central de Sindicatos Brasileiros (CSB), Antônio Neto criticou o governo Bolsonaro e disse confiar mais no Congresso para a solução de problemas do País. "O Congresso tem sido a instituição capaz de enfrentar os problemas do País diante da incapacidade e imbecilidade do Executivo. Se depender de Bolsonaro, permaneceremos no abismo e nosso povo sofrerá ainda mais."

Além da CSB, participaram do encontro com Baleia representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da Força Sindical, da União Geral dos Trabalhadores (UGT), da Central de Trabalhadores do Brasil (CTB) e da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST). Além da vacina e da manutenção do auxílio, as centrais defenderam a retomada de obras paradas, a recuperação do Sistema Público de Emprego, Trabalho e Renda, apoio à economia solidária e manutenção de campanhas beneficentes para a população mais vulnerável.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.