ASSINE
Autor(a) Convidado(a)
É secretário-geral do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Espírito Santo (Setpes)

Vacinar funcionários do transporte é reconhecer a importância do setor

Fortalecer a saúde dos trabalhadores é reduzir a pressão sobre o SUS. Quanto mais motoristas e cobradores forem imunizados, menor será a transmissão do vírus

Publicado em 08/07/2021 às 02h00
Movimentação de usuários do Transcol no Terminal do Ibes. A grande maioria dos passageiros está usando máscaras de proteção contra o coronavírus. Mas ainda é possível ver alguns sem ela.
Movimentação de usuários do Transcol no Terminal do Ibes. Crédito: Carlos Alberto Silva

Os profissionais do setor de transporte já estão sendo vacinados. Segundo o Ministério da Saúde, já foram mais de 400 mil trabalhadores imunizados no país. No Espírito Santo, a expectativa é a de que cerca de 19 mil profissionais da área recebam o imunizante. A decisão, resultado de uma articulação intensa do setor é uma vitória para o transporte e para a sociedade, que usufrui de um serviço essencial.

Entre os profissionais vacinados estão os motoristas e cobradores do transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso. A título de informação, os profissionais precisarão, no ato da vacinação, de documento que comprove o exercício efetivo da função. Para nós, é um reconhecimento da importância do trabalho desenvolvido por esses profissionais, que se reinventaram e foram tão fundamentais para a população.

Do ponto de vista médico, os epidemiologistas também comemoraram a inclusão dos profissionais do transporte. Isso porque são pessoas que perpassam por diversas cidades brasileiras e transportam outras que também se deslocam entre os municípios. Além disso, fortalecer a imunidade e favorecer a saúde desses profissionais é reduzir a pressão sobre o sistema público de saúde. Ou seja, quanto mais motoristas e cobradores forem imunizados, menor será a transmissão e a disseminação do vírus.

Vale a pena ressaltar que desde o início da pandemia, há mais de um ano, o setor de transporte de passageiros vem operando seguindo medidas rígidas de segurança e higienização para reduzir os riscos de contágio. Entre as ações, os veículos passaram a trafegar priorizando o distanciamento e exigindo o uso de máscaras por passageiros e colaboradores, além de reforçar a limpeza e a higienização dos ônibus.

E mais, a decisão vai além do transporte rodoviário de passageiros, que orgulhosamente representamos enquanto entidade. Estão sendo beneficiados profissionais que continuaram trabalhando para manter o abastecimento de alimentos, medicamentos e outros suprimentos, para que passássemos pela crise provocada pela pandemia da forma menos traumática possível. São pessoas que atuam nos portos, no transporte aéreo e nas vias urbanas e interestaduais para manter o funcionamento pleno da sociedade.

Em julho, mês em que comemoramos o Dia do Motorista, o avanço do cronograma de vacinação nos dá mais um motivo para vibrar. Vacinar os motoristas, cobradores e todos os profissionais do setor é mostrar o reconhecimento pelo comprometimento dos trabalhadores e a importância do serviço para toda a população.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.