ASSINE
Autor(a) Convidado(a)
É consultor técnico da MEC SHOW

Onde há um investimento industrial no Brasil, há uma empresa capixaba

Quando se conversa com o investidor ou detentor de tecnologia, escuta-se o reconhecimento pela qualidade e pelo comprometimento do fornecedor do Espírito Santo

Publicado em 02/06/2022 às 10h00

Os setores de mineração, siderurgia, papel e celulose e petróleo e gás, no Brasil, deverão investir, no período de 2022 a 2026 cerca de R$ 450 bilhões, sendo os maiores investimentos em petróleo e gás e mineração.

No Espírito Santo, no mesmo período, os investimentos em projetos industriais e infraestrutura estão estimados em R$ 66 bilhões, incluindo investimentos de capital (CAPEX) e operacionais (OPEX), sendo os maiores investimentos em infraestrutura. Nesse setor, estão incluídas as obras dos portos da Imetame, Porto Central e Petrocity, ferrovia EF 118, duplicação da BR 101 e obras de saneamento nos municípios da Grande Vitória. Em petróleo e gás (exploração e produção), inclui-se a nova plataforma FPSO da Yinson Production no Parque das Baleias.

Esses investimentos, tanto no Espírito Santo quando Brasil, representam excelentes oportunidades de negócios para as empresas da indústria de base do Estado. São empresas dos setores de fabricação de equipamentos e componentes mecânicos, caldeiraria, torres de transmissão, serviços de montagem e manutenção industrial, construção civil, engenharia e gerenciamento de projetos, além de empresas dos setores afins, como transporte de cargas e pessoas, fornecimentos de serviços especializados e comércio de material para indústria.

Os fornecedores capixabas, que compõem a cadeia de abastecimento nos investimentos e operações de grandes plantas industriais, se capacitaram e investiram em instalações e equipamentos, utilizando tecnologias adequadas e pessoal preparado, e tornaram-se referência no mercado nacional.

Foi percorrido um caminho longo. Inicialmente os fornecimentos eram da ordem de 8% do total no Estado e atualmente é superior a 60%. Não é mais necessário que se construa alojamento em nenhuma obra, evitando a formação de bolsões de pobreza como ocorria no passado.

Paralelamente a essa evolução, detentores de tecnologia, reconhecendo essa competência, levaram os fornecedores capixabas para obras em diferentes regiões do país, sendo que em 2021, ano passado, 58% do faturamento das empresas dos setores mencionados é oriundo dos fornecimentos para outros Estados brasileiros.

A Mec Show, feira da indústria de base que em 2022 completa 15 anos, contribuiu ativamente para essa conquista, realizando exposição dos fornecedores, e, principalmente debatendo tecnologias, investimentos, oportunidades e desafios, com especialistas de diferentes países, sempre com foco no desenvolvimento sustentável.

Em 2022, a Mec Show, depois de dois anos realizada de forma virtual, será presencial, de 2 a 4 de agosto. Ela atrai grande interesse e expectativa de todos os atores envolvidos. Os temas principais deste ano são tecnologia, inovação e energia. A Mec Show conta com apoio da FindesGoverno do EstadoSebrae e a promoção do Sindifer e CDMEC, além da parceria com as principais entidades nacionais do setor.

É muito bom poder andar pelo Brasil e verificar onde há um investimento industrial, há uma empresa capixaba. Melhor ainda, é quando se conversa com o investidor ou detentor de tecnologia, escutar dele o reconhecimento pela qualidade e comprometimento do fornecedor do Espírito Santo, fazendo elogios que enchem de orgulho a quem torce pela indústria brasileira e vê os capixabas contribuírem para esse sucesso.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.