ASSINE
Ph.D em Contabilidade, consultora de empresas em Ciência de Dados e negócios, professora da Fucape Business School, jornalista e comentarista da CBN Vitória

Cartões de crédito: vale a pena pagar anuidade em troca de benefícios?

Cartão de banco, cartão de loja ou de fintech: veja como escolher aquele que oferece mais vantagens pelo menor custo.

Vitória
Publicado em 29/04/2022 às 09h58
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 20.02.2018: Cartões de crédito de diversos bancos e bandeiras. (Foto: Adriana Toffetti/A7 Press/Folhapress)
Cartões de crédito de diversos bancos e bandeiras. Crédito: Adriana Toffetti/A7 Press/Folhapress

A circulação de dinheiro vivo na economia tem diminuído a cada dia com o aumento das transações digitais. O volume de recurso movimentado via cartões, por exemplo, cresceu 33% entre 2020 e 2021, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs). Muitos deles oferecem resgate de pontos, cashback, troca por produtos, mas há frequentemente anuidades e gastos mínimos envolvidos. Existe uma escolha que possa fornecer um melhor custo-benefício ao consumidor?

O CARTÃO DE LOJA

Aqueles cartões que levam a marca de uma empresa são chamado de "private labels". Trata-se de uma estratégia de fidelização: Lojas Americanas, Casas Bahia, Azul Linhas Aéreas são alguns exemplos, mas há uma infinidade de companhias no mercado ofertando private labels.

Esses serviços são customizados, as taxas e anuidades são definidas pelas empresas quem emitem o cartão e envolvem uma gama de taxas de troca por produtos ou serviços diferentes, o que dificulta uma comparação entre os cartões. Então, antes de escolher um deles, veja o quão recorrentes são suas compras junto àquela empresa.

Este vídeo pode te interessar

Pode valer a pena ter um cartão de uma loja se você, por alguma razão, precisa comprar muito lá e os preços são competitivos. Porém, escolher a loja A ou B para fazer um cartão não deve impedir você de pesquisar preços em outros locais antes de comprar. Compre sempre o produto que deseja com o menor preço.

VALE A PENA PAGAR ANUIDADE?

E as anuidades, devo evitar cartões que as cobram? Em geral, a cobrança de anuidade vem com uma promessa de benefício atrelada a ela. Há fintechs que cobram anuidades, mas oferecem troca de pontos: um ponto vale R$ 0,01 (isso, um centavo) de desconto na fatura. Logo, se você paga uma anuidade equivalente a R$ 19 mensais precisa gastar R$ 1900 minimamente por mês apenas no cartão para ficar no zero a zero e “apagar” os R$ 19 da fatura.

Então, só vale a pena pagar a anuidade nesse caso se: você gasta acima de R$ 1900 por mês no cartão; e esse gasto é necessário e está planejado no seu orçamento doméstico.

CUIDADO PARA NÃO GASTAR DEMAIS NO CARTÃO

Você precisa, antes de escolher seu cartão, definir quanto pode gastar mensalmente com ele, ou seja, estabelecer um teto de gastos para esse tipo de pagamento. Há casos em que é possível estabelecer um limite de 50% de gastos de consumo via cartão. Ou seja, se há uma reserva de R$ 2 mil por mês da sua renda para consumo, R$ 1 mil podem (e não necessariamente devem) ser pagos por mês com o cartão.

Controle compras parceladas, elas dão a falsa sensação de que você tem mais renda do que de fato tem, e podem levar você ao rotativo, um dos créditos mais caros do país.

Por fim, cada vez mais os cartões de crédito são customizados, ofertados de acordo com a idade, a renda e os hábitos de consumo do cliente. Você precisa fazer a conta: o desconto à vista muitas vezes supera qualquer benefício ofertado pelo cartão. Mas se o produto é essencial, urgente e importante naquele momento, e não há orçamento para ele, o cartão pode ser um bom aliado.

A Gazeta integra o

Saiba mais
dinheiro Banco

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.