ASSINE

Reestruturação facial é a última palava em rejuvenescimento

Procedimentos estéticos que proporcionam harmonia, simetria e rejuvenescimento facial viram mania no país e conquistam, cada vez mais, mulheres de todas as idades

Publicado em 26/04/2019 às 17h48

Aos 18 anos, a cabeleireira e maquiadora Jhenyffer Santucci Venturin resolveu deixar o rosto mais quadradinho e o maxilar mais aparente. “Achava o meu rosto muito fino e sentia ele meio torto nas fotos”, conta a jovem. Para resolver o “problema”, a capixaba fez botox na testa, deixando as sobrancelhas mais arqueadas e harmônicas, além de preenchimento mandibular e labial.

Jhenyffer é uma - entre tantos capixabas - que têm aderido a reestruturação da face, conjunto de procedimentos estéticos que deixam o rosto mais harmônico. “Senti meu rosto mais harmônico, mais correto nas fotos, e tudo que me incomodava foi embora. Me sinto linda até sem maquiagem”, conta. A reestruturação da face virou moda depois que famosos como Cléo Pires, Kelly Key, Alok e Carlinhos Maia fizeram diversos procedimentos no rosto e, depois, divulgaram em suas redes sociais. “A harmonização facial é um conjunto de procedimentos dermatológicos que visam melhorar a simetria da face e do pescoço e, com isso, proporcionar a harmonia e o embelezamento do rosto. É sempre importante compreender que é preciso respeitar a anatomia de cada um. Dermatologistas realizam procedimentos como a toxina botulínica e o preenchimento há mais de 20 anos. Ou seja, a simetria facial não é algo novo. O que é novidade é o uso das expressões harmonização facial para descrever um método que evoluiu muito pelas mãos dos dermatologistas”, explica a dermatologista Karina Mazzini.

A médica explica que o primeiro passo é a documentação fotográfica de qualidade, de preferência com o uso de tecnologia em 3D, que mostre realmente a face de uma maneira global. Também é feita uma avaliação geral do estado da pele, incluindo aspectos como a flacidez facial, além de uma análise da saúde do paciente, para checar se ele pode ser submetido a esses procedimentos. “É importante também avaliar as proporções da esquerda e da direita para saber se existe uma parte mais assimétrica que a outra. O rosto humano está divido em partes e proporções teóricas que nos permitem fazer este tipo de avaliação. Embora cada rosto seja diferente e cada raça humana tenha proporções diferentes, esse estudo do rosto marca uma referência que facilita na hora da avaliação e de planejar o que pode ser bom para aquele rosto. São considerados aspectos como tamanho e localização das sobrancelhas, dos olhos, do nariz e das maçãs do rosto, delimitação da mandíbula e outros”, detalha Karina.

A dermatologista Sandra Federici acrescenta ainda que é importante avaliar as perdas do paciente, pois existem aqueles que têm uma absorção óssea maior. “Outros tem uma perda maior dos coxins adiposos... então avalio o que fica bem para o rosto daquele paciente, sempre individualizando os tratamento, evitando deixar todos com o mesmo padrão”, ressalta ela.

Procedimentos

Uma vez que é identificada a necessidade e o desejo de cada paciente, é iniciada uma série de procedimentos em busca do melhor resultado. “Atualmente, foco muito na sustentação da face, que é pensada de uma maneira mais profunda. Para essa sustentação, existem os bioestimuladores. Dois bons exemplos que podem ser aplicados em face são o ácido polilático e a hidroxiapatita de cálcio. Eles não são preenchedores, mas são aplicados profundamente, muitas vezes até justa-ósseo, que é para dar firmeza à face”, diz Karina Mazzini. Ela explica ainda que, quando se aplica este bioestimulador de colágeno, já é possível reposicionar algumas estruturas, o que diminui a necessidade de preenchimento com ácido hialurônico. “Outro bioestimulador que gosto muito e uso é o ultrassom microfocado de alta intensidade, que é um dos poucos que, de fato, consegue tratar o músculo”, explica.

A dermatologista Alessandra de Melo orienta que a harmonização é feita através de vários procedimentos. Uma das novidades em sua clínica é a radiofrequência injetável para o tratamento da flacidez e contorno facial, realizado com uma cânula que é inserida na pele, aquecendo-a, e promovendo uma retração em 3D com produção de colágeno a longo prazo. “Tecnologias não-invasivas como o ultrassom microfocado para flacidez de face, incluindo papada, pescoço e colo também são uma opção”, diz.

A dermatologista Oliete Guerra lembra também da toxina botulínica, que é feita na fronte e lateral dos olhos. “Vai melhorar as rugas e suavizar as expressões, principalmente aquela entre as sobrancelhas, que dá um aspecto de ‘zangado’”, explica a dermatologista. Já o ácido hialurônico preenche sulcos, como o bigode chinês por exemplo, deixando-o mais superficial e menos visível.

Fios de sustentação

Para Sandra Federici, os fios de sustentação são utilizados para melhorar a flacidez e contorno quando a paciente tem uma flacidez moderada. “Utilizamos fios de material absorvível que possuem cones, e estes promovem tração leve da pele. A quantidade de fios depende da necessidade de cada paciente”, avisa a médica. Segundo ela, os bioestimuladores são produtos que conferem resultados muito naturais e elegantes. “Eles estimulam a produção do colágeno, e o ideal é que sejam usados a cada 45 dias. São necessárias de 2 a 3 sessões dependendo do grau de flacidez do paciente. Gosto muito para homens também”.

Papada

A se a papada é algo que interfere, e muito, na harmonia da face, as especialistas garantem que há tratamento para ela também. Tem até lipo de papada, como explica a dermatologista Patrícia Friço. “Aplico uma enzima para dissolver a gordura dessa região. São feitas de três a cinco aplicações com intervalos quinzenais ou mensais entre as aplicações. É uma região que incha, pode ficar roxo, mas depois o resultado é muito satisfatório”, diz a médica. Ela apenas ressalta que é preciso ter cuidado no caso de o paciente ter muita flacidez, porque a gordura some e ressalta a essa flacidez. “Quando isso acontece oriento o paciente a fazer a radiofrequência CO2 fracionado, sculptra, entre outros”.

Cuidados

As dermatologistas ouvidas pela reportagem garantem que não existe um número exato de ampolas a serem usadas. O ideal é sempre ter bom-senso. “Meu número mágico são quatro seringas por sessão para evitar exageros. Se precisar colocar mais, reaplico depois”, diz Sandra Federici. Oliete Guerra diz que não tem um número exato. “Sempre olho pelo lado do bom-senso, não gosto de excesso. O ideal é respeitar o formato do rosto”, explica, acrescentando ainda que a melhor anestesia é a tópica. “Porque a injetável paralisa o movimento”.

O ideal também é que os procedimento sejam feitos somente na fase adulta. “Se vamos dar um estímulo justa-ósseo, é fundamental que a pessoa esteja com a ossificação totalmente formada”, diz Karina Mazzini.

Justamente por estar “na moda”, há muitos exageros vistos por aí. Inclusive feitos por profissionais que não são médicos. E muitas vezes esses pacientes vão parar nos consultórios das dermatologistas para que esses “erros e excessos” sejam corrigidos. Por isso é preciso, principalmente, procurar o profissional mais qualificado para realizar esses procedimentos, que é o médico dermatologista. “Os maiores perigos são excessos, deformações, riscos de injeção intravascular de produto - que pode causar necrose -, cegueira, edemas persistentes e infecções. Há uma infecção crônica, chamada biofilme, que gera muita complicação”, alerta Karina Mazzini.

ESTÉTICA FACIAL 

Mudanças

A autônoma Priscila Fabris, 32 anos, também realizou alguns procedimentos no rosto, já que se sentia incomodada com a desarmonia estética facial. “A intenção era destacar alguns pontos do rosto. Aumentei o malar, dando contraste do malar com a mandíbula, além de deixar a mandíbula mais quadrada. Também preenchi algumas áreas, o lábio de forma harmônica e um pouco debaixo da boca com ácido hialurônico”, conta. Ela também aplicou toxina, com objetivo de diminuir as rugas da testa e arquear a sobrancelha, e tratou a papada com aplicação de enzima.

O que pode ser feito

Ácido hialurônico

Pode preencher os lábios, a região malar, a região temporal, a mandíbula, dando um contorno mais firme e, assim, dando ao rosto aspectos mais masculinos ou femininos. Também pode ser feita a projeção malar (maçãs do rosto), aumento do mento (queixo), definição do contorno da mandíbula, diminuição da fossa temporal, em volta da boca e também no pescoço.

Sustentação da face

É pensada de uma maneira mais profunda. Para essa sustentação, existem os bioestimuladores. Dois bons exemplos que podem ser aplicados em face são o ácido polilático e a hidroxiapatita de cálcio. Estes produtos não são preenchedores e são aplicados profundamente, muitas vezes até justa-ósseo, que é para dar firmeza à face. Muitas vezes, quando se aplica este bioestimulador de colágeno, já é possível reposicionar algumas estruturas, o que diminui a necessidade de preenchimento com ácido hialurônico. Outro bioestimulador que é o ultrassom microfocado de alta intensidade, que é um dos poucos que, de fato, consegue tratar o músculo.

Toxina botulínica

É injetada nas rugas de expressão e causa efeito de paralisação do músculo, amenizando as marcas. Também pode ser aplicada na fronte e lateral dos olhos, melhorando as rugas, e suavizando a expressão, principalmente a que fica entre as sobrancelhas, dando aspecto de ‘zangado’.

Lipo de papada

Na lipo enzimática é usada uma substância chamada desoxicolato de sódio, que pode ser aplicada sozinha ou junto numa mesma fórmula com a fosfatidilcolina. O objetivo do procedimento é fazer quebra da membrana plasmática da célula gordurosa e, com isso, matar a célula de gordura, dando o efeito de lipo.

Os Fios de sustentação

Podem ser indicados para tratar áreas afetadas pela flacidez como bochechas, sobrancelhas, linha mandibular e pescoço. Eles são reabsorvíveis e tratam o problema de forma minimamente invasiva. A indicação de qual deles usar é feita pelo médico, dependendo de cada caso.

A radiofrequência injetável

Novidade para o tratamento da flacidez e contorno facial, realizado com uma cânula que é inserida na pele, aquecendo-a, promovendo uma retração em 3D, com produção de colágeno a longo prazo.

Bioestimuladores como o ácido polilático

Pode ser aplicado em diferentes camadas do rosto com o objetivo de estimular colágeno, corrigir a espessura, devolver volume, contorno e atenuar linhas e sulcos.

Tecnologias não-invasivas

Um exemplo é o ultrassom microfocado para flacidez de face, incluindo papada, pescoço e colo, além de lasers e tecnologia termo-fracionada para manchas e rugas – também podem ser indicados.

 

A Gazeta integra o

Saiba mais
saude

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.