ASSINE

Mudar é essencial para a vida!

Mariana Reis se apresenta e fala que dar força aos textos para mudar uma realidade é uma das missões de sua coluna

Publicado em 09/10/2019 às 17h07
A colunista Mariana Reis. Crédito: Reprodução/ Instagram @marianabreis
A colunista Mariana Reis. Crédito: Reprodução/ Instagram @marianabreis

O retorno - Depois de quase 1 ano sem escrever a coluna Livre Acesso, estou de volta. Confesso pensava que este momento chegaria só não sabia que as perspectivas de alcance seriam tão maiores. É um tanto quanto instigante voltar não ser lida por quem você vê todos os dias e ser lida por quem você nunca viu. Enquanto colunista sempre achei isso interessante..., estranho para dizer o mínimo.

E agora? - Igualmente lá atrás, há exatos cinco anos, quando recebi o convite para falar novamente de um tema muito presente na vida de todos nós, fiquei muito feliz e de novo de cabelos em pé. Feliz por ver o tema Acessibilidade -tão importante - ser valorizado e incorporado pelo veiculo de comunicação mais potentes do ES, A Gazeta. E de cabelos em pé e mais um frio na barriga pela responsabilidade que tenho em compartilhar experiências, buscar assuntos novos e também pelo alcance que terá o novo formato do jornal. Também fiquei sem dormir pensando se conseguiria trazer informações que pudessem fazer a diferença e, mais ainda, que essas informações fossem transformadas em mudança e essas mudanças incorporadas no cotidiano dos meus novos leitores.

Experiência faz diferença - Assumi que as dúvidas existem ainda, mas em intensidades menores e com uma coragem enorme para juntar notícias, fatos e acasos, pensamentos e opiniões, e arriscar dar a eles uma coerência. Por aqui vou abordar diversos assuntos que me forçarão a desenvolver o pensamento – me expondo, muitas vezes - para além do nível de um juízo de valor, ou seja, explicar o meu ponto de vista sobre tal tema será, antes de tudo, compreendê-lo. Oh, céus!

Vivo o que escrevo - Pensar que vou rodar ( gente, rodar é o que mais faço) para começar um texto sem saber como terminá-lo. E, às vezes, depois de terminá-lo, continuar sem saber. Socorro! Não é fácil escrever, mas também não é difícil. Nesses anos de experiência com as mãos, aprendi a garimpar nos jornais, nos livros, nas ruas, nos acontecimentos, na arte, no dia a dia, nas pessoas, nos lugares, na vida. Enfim, nas relações. E é assim que me inspiro, vivendo – mesmoooo - cada texto que escrevo. Não será diferente nesta nova fase!

E claro, eu espero um contato bem próximo e um feedback constante de vocês, pois com certeza, esse serão os combustíveis para validar e continuar por bons anos a coluna. Muitas mudanças já ocorreram na área da pessoa com deficiência, que hoje equivalem a quase 46 milhões de brasileiros, mas a nossa sociedade atual ainda precisa aprimorar seus trabalhos e ampliar o campo de visão para esse público.

Ação! Tentar dar força aos textos para mudar uma realidade é uma das missões da coluna Livre Acesso. E que eu possa ser presenteada sempre e sempre com a leitura de vocês. Por isso, quero reiterar: o desafio e convite foram aceitos! Parabéns a minha xará pela ousadia do olhar e peço licença para ser recebida – por novos caminhos - em seus lares, empresas, nas ruas, shoppings, cafés e tantos outros espaços. A todos vocês o meu respeito, reconhecimento e gratidão pela importância, que a partir de agora, tem em minha vida. Obrigada!

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.