ASSINE
Marcos Piangers
Marcos Piangers
Marcos Piangers

"O maior impacto da pandemia nas crianças é o distanciamento"

Jornalista e escritor,  o autor do best seller  "O Papai é Pop" analisa os reflexos da crise sanitária na educação

Marcos Piangers
Publicado em 21/10/2020 às 06h00

A pandemia do coronavírus causa um impacto brutal na vida de crianças e adultos devido à dificuldade de lidar com o distanciamento social, principal medida para evitar a contaminação da Covid-19, além dos prejuízos econômicos e psicológicos que a doença pode provocar nas famílias dos infectados e na sociedade de modo geral. A análise é do jornalista e escritor Marcos Piangers que, com olhar para a educação neste contexto, vai fazer palestra sobre "A Escola do Futuro" no Encontro de Pais e Mestres promovido por A Gazeta, neste ano na versão on-line também devido à crise sanitária. 

Especialista em novas tecnologias, criatividade, inovação e uma das maiores referências sobre paternidade do país, Piangers é autor do best seller “O Papai é Pop”, com mais de 300 mil livros vendidos e lançados em Portugal, Espanha, Inglaterra e Estados Unidos. Para ele,  o maior abalo da pandemia para as crianças é a necessidade de distanciamento, que afeta o aprendizado em três dimensões: social, lúdico e técnico. 

Na educação, Piangers cita que, com a adoção do ensino remoto, os professores tiveram de se reinventar para garantir a manutenção das atividades escolares. Por outro lado, a pandemia escancarou a falta de infraestrutura das escolas administradas pelo poder público e gerou dívidas para as escolas particulares. Nesse cenário, os maiores prejudicados foram educadores e alunos.

Piangers já deu aulas e palestras nos principais eventos e em empresas nacionais, além de ter sido cinco vezes palestrante do TED, a maior conferência de ideias do mundo. Seus vídeos ultrapassam a marca de 400 milhões de visualizações. E no dia 26, às 16 horas, estará no site de  A Gazeta com a palestra "Uma espiada no futuro - o mundo depois da quarentena", em que trata de tecnologia,  oportunidades digitais e inovação.  Confira abaixo uma breve análise do escritor sobre o momento atual:

Como você avalia que a pandemia, e todas as restrições decorrentes dela, afetou as crianças?

O impacto da pandemia é brutal em crianças e adultos. Vivíamos uma relativa calma mundial, depois da Guerra Fria, durante os anos 90 e os primeiros vinte anos deste século. Percebo que as crianças lidam com a questão da pandemia de uma forma até mais leve do que os adultos, pois os mais velhos têm mais consciência dos impactos sanitários e econômicos. O maior impacto nas crianças é a necessidade de distanciamento social, que abala o aprendizado social, o aprendizado lúdico e o aprendizado técnico. Lamentavelmente, estas crianças que já passavam tempo demais na frente das telas, aumentaram ainda mais o consumo de jogos e redes sociais. E, por último, um problema de saúde mental: como muitos pais estão estressados, algumas crianças sofrem violências físicas e psicológicas na quarentena, sem que o ponto de contato escolar e social percebam.

Quais os impactos do coronavírus na educação?

O tele-ensino virou regra, os professores tiveram o desafio de se reinventar, as escolas particulares passam por problemas financeiros, as escolas públicas vivem a falta de infraestrutura e a desigualdade explícita. Me parece que os sistemas de ensino a distância ainda são muito arcaicos e desumanizadores, o aprendizado está prejudicado, alunos e professores sofrem de esgotamento.

Mesmo diante desse cenário, há aspectos positivos?

Claro, podemos nos esforçar para achar pontos positivos: escolas que conseguem usar a tecnologia para que as crianças mergulhem em uma trilha de conhecimento novo; alunos que desenvolveram habilidades técnicas com tecnologia que são muito importantes no mercado de trabalho; e pais que estão mais participativos nas questões escolares, ajudando nas tarefas e respeitando os professores. Acho que todo pai percebeu que o professor é um herói.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Educação Encontro de Pais e Mestres Pandemia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.