ASSINE

O desafio de preparar alunos para um futuro ainda mais competitivo

O trabalho, da escola e das famílias, deve ser uma parceria para que as novas gerações estejam aptas às exigências do mercado

Publicado em 21/10/2020 às 14h00
Mercado de trabalho competitivo; competição
Mercado competitivo e em constante mudança: a preparação para novos tempos começa ainda na escola. Crédito: Freepik

O avanço acelerado da tecnologia, nas últimas décadas, provocou uma série de mudanças em todo o mundo, afetando também – e principalmente – o mercado de trabalho, com o surgimento de novas demandas, diferentes serviços e formas de consumo. Portanto, transformar o estudante em um profissional bem-sucedido, dentro de um ambiente competitivo e transitório, tornou-se um desafio para o educador e para as instituições de ensino.

“O trabalho mudou radicalmente e está em período de transição. Não existe mais aquela coisa de ter uma carreira. Antes, você entrava em uma empresa e ficava até aposentar. Isso é raro e vai ser cada vez mais. Não é mais estranho você dar uma guinada e fazer alguma coisa diferente do que fazia antes; isso é algo que eu já observo dentro da universidade, com alunos mudando rapidamente de cursos”, constata a professora Cláudia Broetto Rossetti, do Departamento de Psicologia Social e do Desenvolvimento da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).

Entretanto, para a especialista, a nova realidade não  deve ser motivo para desespero dos estudantes. Para lidar com a questão da ansiedade, gerada por tanta fluidez e incertezas, a professora destaca a importância de ter boas relações dentro do contexto familiar, além de uma rede de apoio formada por amigos e outras pessoas que convivem socialmente com o estudante.

Outro aspecto apontado pela educadora é a necessidade de ter boas expectativas em relação às mudanças. 

Cláudia Broetto Rossetti

Professora do Departamento de Psicologia Social e Desenvolvimento da Ufes

"Encarar a possibilidade da competição e dessa coisa mais fluida do trabalho como algo positivo, e não negativo. Tudo bem que, nesse cenário de fluidez, você não tenha tantas certezas, mas em compensação, (a mudança) te abre muitas possibilidades, então tem o lado positivo"

SUPORTE

A rede de apoio se torna ainda mais importante no momento em que o mundo enfrenta a pandemia da Covid-19 que, entre outros impactos, provocou o fechamento das escolas e universidades durante quase todo o ano letivo de 2020. Cláudia reforça que se trata de uma situação sem precedentes, e que vai se refletir nos próximos anos em todas as faixas etárias.

“Com certeza, vamos demorar alguns anos para superar, principalmente a questão dos grupos desfeitos, de não ter essa interação face a face, de tudo ter ficado virtual”, pondera. 

Para a educadora, a escola terá um papel fundamental na retomada da “normalidade” dos estudantes, tanto no aspecto de aprendizagem, quanto nas relações sociais para ajudá-los a construir uma trajetória bem-sucedida.

QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

Para assegurar uma educação mais abrangente, que prepare melhor o estudante para o futuro, é imprescindível o investimento na qualificação dos profissionais de ensino, em todos os níveis, atesta o professor universitário Rafael Cláudio Simões. O educador faz uma crítica à histórica segmentação na abordagem dos conteúdos, mas defende que a base curricular  - aprovada recentemente - amplia as temáticas que auxiliam na formação do estudante como cidadão.

“Durante muito tempo, fomos compartimentalizando tudo e desenvolvendo 'caixinhas' para nossa vida e para a organização da sociedade. Essa separação é que, muitas vezes, nos impede de ter uma visão do todo e de pensar a nossa responsabilidade nesses vários campos", avalia Rafael Simões. 

“Mais do que um problema de grade curricular, devemos pensar essa multidisciplinaridade, que deve ser trabalhada nas escolas, através de projetos. Para isso, é necessário que os sistemas de ensino, públicos e particulares, trabalhem na qualificação dos profissionais”, completa. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Educação Encontro de Pais e Mestres Escolas particulares Escolas Públicas

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.