ASSINE

Mais aulas e novas oficinas nas turmas do Primeiro Mundo em 2021

Após um período de mudanças devido à pandemia, a escola planeja o próximo ano e está atenta ao desenvolvimento emocional dos alunos

Publicado em 26/10/2020 às 12h50
Centro Educacional Primeiro Mundo
Nos planos do Centro Educacional Primeiro Mundo estão as oficinas de fotografia e de jardinagem . Crédito: Primeiro Mundo/Divulgação

O ano de 2020 ainda não terminou, mas 21  bate à porta e o planejamento é fundamental na educação. Assim, o Centro Educacional Primeiro Mundo já prepara novidades. Para o ano que se aproxima, além da consolidação do ensino híbrido e a parceria com uma grande plataforma digital,  a fim de impulsionar os estudos para o vestibular, a escola vai estender a carga horária do ensino fundamental com uma aula a mais de gramática e ampliar, para todos os alunos, a oferta de oficinas temáticas. Alguns temas previstos são marketing, grafitti, jardinagem, marcenaria, fotografia e empreendedorismo.

Esses e outros planos para 2021 são sustentados pelas mudanças na estrutura física, no âmbito tecnológico e na área afetiva, que foram os três pilares do Centro Educacional Primeiro Mundo no período de transição do ensino a distância para o presencial, mantendo inclusive a modalidade híbrida.

Pensando em tornar o momento menos traumático para alunos, famílias e funcionários, o lado afetivo não foi ignorado, mas, pelo contrário, foi valorizando as habilidades socioemocionais que o Primeiro Mundo mostrou o seu diferencial.

Adriana Selga Borges

Diretora-geral do Centro Educacional Primeiro Mundo

"Além de continuar a realizar o seu papel de escolarização, entendemos que a nossa escola precisa comprometer-se com o crescimento integral dos estudantes, proporcionando experiências que promovam o desenvolvimento emocional saudável deles, principalmente em meio a essa crise sem precedentes"

Outro ponto que merece destaque no enfrentamento da crise foi a rapidez com que a escola agiu para mitigar os efeitos do isolamento. Logo nas primeiras semanas, já instituiu o ensino a distância, sempre prezando pela valorização dos professores e dos laços criados entre as turmas.

TRANSIÇÃO

Além de aulas ao vivo nas plataformas virtuais, os alunos também conseguiam acessar aulas gravadas, para rever quando necessário. Agora, já com a abertura gradual, o modelo de ensino híbrido permanece, principalmente para que nenhum aluno seja prejudicado caso tenha optado por não sair do isolamento.

 “Com o retorno das atividades presenciais, fizemos a transição do ensino remoto para o híbrido. Ou seja, estando ou não na escola, os nossos alunos terão acesso a todas as aulas, às explicações do próprio professor, aos exercícios propostos, por meio de transmissão ao vivo”, pontua a diretora.

A escola equipou as salas, acrescenta Adriana, treinou professores e conta hoje com 52 ambientes devidamente preparados para transmitir todas as aulas, em tempo real, diariamente.

Adriana Selga Borges, diretora-geral do Primeiro Mundo
Adriana Selga Borges revela que a instituição tem 52 ambientes para transmitir as aulas em tempo real. Crédito: Primeiro Mundo/Divulgação

“Desse modo, não somente para o momento de pandemia, mas, também, em situações futuras - viagens da família, afastamento por enfermidade ou impedimentos de outra natureza -, nossa escola estará sempre acessível aos alunos, onde quer que eles estejam e por quanto tempo precisarem”, assegura.

Além de tecnologia e mudanças de infraestrutura, o centro educacional investe já há algum tempo nas habilidades socioemocionais dos alunos. Entretanto, na contramão de muitas escolas, o Primeiro Mundo optou por escolher temas de acordo com a faixa etária e explorar, em detalhes, o gerenciamento de emoções visando ao melhor desempenho acadêmico, mas principalmente uma interação social proveitosa.

"Na educação infantil, a ênfase é a construção de afetividade e a criação de vínculos. Já no ensino fundamental, o desafio está na construção de laços consistentes e na promoção da autonomia do aluno. E no ensino médio, as atividades com foco em habilidades socioemocionais estão voltadas ao projeto de vida do estudante, considerando as habilidades necessárias para que ele projete o futuro e saiba fazer o autogerenciamento das incertezas”, sintetiza a diretora Adriana.

Educação Encontro de Pais e Mestres Escolas particulares

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.