ASSINE

Time Brasil em Tóquio será o maior em Jogos Olímpicos fora do país

Das 50 modalidades do programa olímpico de Tóquio-2020, o Brasil estará presente em 35, o que totaliza uma participação de 70%

Publicado em 17/07/2021 às 17h53
Vôlei
Seleção feminina de vôlei. Crédito: Divulgação/FIVB

A delegação brasileira que estará em Tóquio para a disputa da Olimpíada será a maior do país em Jogos Olímpicos disputados no exterior.

O Time Brasil terá 303 atletas e 18 reservas, que podem ser utilizados em modalidades específicas como futebol, handebol, atletismo, tênis de mesa e hipismo.

Até então, o maior número de brasileiros em Jogos havia sido registrado em Pequim-2008, com 277 competidores. O número foi superior à disputa de Londres-2012, que teve 259 esportistas, enquanto no Rio-2016 houve o recorde de 465 participantes. Na ocasião, como o Brasil competia em casa, muitas das vagas foram conquistadas de forma automática, concedidas ao país anfitrião.

Dos 303 atletas, o número de estreantes é alto. Ao todo, há 177 novatos, ou 58% da delegação nacional. Em Londres-2012, o Brasil enviou 135 atletas (52% da equipe) que disputaram os Jogos pela primeira vez. No Rio, há cinco anos, eram 310 novatos. Isso representou 67% do total.

Das 50 modalidades do programa olímpico de Tóquio-2020, o Brasil estará presente em 35, o que totaliza uma participação de 70%.

Do total de representantes da delegação, há 90 atletas militares, o que representa 29,7% dos brasileiros que irão competir em Tóquio. Ou seja, em caso de pódio, a imagem de medalhista brasileiro batendo continência em cerimônias de premiação provavelmente se repetirá, assim como já foi visto nos Jogos do Rio-2016 ou no Pan de Lima-2019.

O número de militares, porém, sofreu ligeira queda em relação à última Olimpíada. No Rio, eles eram 145 ou 31,2% do Time Brasil.

No Japão, estão liberados os reservas para modalidades específicas por conta das condições adversas que os atletas tiveram para se preparar, com treinos prejudicados pela pandemia e pela possibilidade de eliminação em caso de PCR positivo.

No entanto, o COB (Comitê Olímpico do Brasil) não conta os reservas como membros da delegação porque considera que "esses atletas substitutos só vão se tornar olímpicos no momento que fizerem parte da disputa".

O número de mulheres brasileiras nos Jogos também cresceu. Em progressão desde 1932, quando Maria Lenk participou da Olimpíada de Los Angeles, a participação feminina só caiu em 2012, quando 123 atletas estiveram na disputa. Em Tóquio-2020, esse número subiu para 141 atletas (46,5% do total). Os homens conquistaram 162 vagas --o equivalente a 53,5% do Time Brasil.

Embora houvesse a expectativa de que o número de mulheres superasse o de homens, isso não se concretizou nesta edição. Antes do adiamento do evento, o Brasil contava com mais mulheres classificadas do que homens, o que seria inédito. Na primeira edição da era moderna do evento, em 1896, as atletas eram proibidas de competir, como acontecia na Grécia Antiga.

O Time Brasil terá 18 campeões olímpicos em Tóquio: Arthur Zanetti (ginástica artística); Thiago Braz (atletismo); Rodrigo Pessoa (hipismo); Kahena Kunze, Martine Grael e Robert Scheidt (vela); Bruninho, Douglas Souza, Fernanda Garay, Lucão, Lucarelli, Maurício Borges, Maurício Souza, Natália, Tandara e Wallace (vôlei); e Alison e Bruno Schmidt (vôlei de praia). São 31 medalhistas no total entre ouros, pratas e bronzes.

As estreias do skate e do surfe trouxeram novas chances de medalha ao Brasil. Kevin Hoefler, Pâmela Rosa, Rayssa Leal e Letícia Bufoni (skate) e Gabriel Medina e Ítalo Ferreira (surfe) chegam com boas possibilidades de atingirem o pódio.

Em outras modalidades, como vôlei, vôlei de praia e futebol, todos no masculino, o Brasil busca o bicampeonato olímpico consecutivo. Apenas o futebol não terá nenhum atleta da campanha vitoriosa de 2016.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Japão Olimpíadas Olimpíada de Tóquio Esportes japão Tóquio

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.