ASSINE

EUA planejam reverter políticas de imigração de Trump, diz Biden

Durante telefonema com presidente mexicano, Biden delineou seu plano para criar novas vias para imigração legal e melhorar o processo para pessoas pedirem asilo

Publicado em 23/01/2021 às 15h51
O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, discursa durante a cerimônia de sua posse realizada no Capitólio, em Washington (DC), nesta quarta-feira (20)
O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, discutiu planos para reverter reverter políticas de imigração de Trump. Crédito: JONATHAN ERNST/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, discutiu planos para reverter a política de imigração da administração de Donald Trump com o presidente mexicano Andrés Manuel López Obrador nesta sexta (22), segundo um documento divulgado pela Casa Branca neste sábado (23).

Durante o telefonema, Biden delineou seu plano para criar novas vias para imigração legal e melhorar o processo para pessoas pedirem asilo. Entre as prioridades, estão "reverter as políticas de imigração dracononianas da administração anterior", de acordo com a Casa Branca.

Os dois líderes também se comprometeram a trabalhar juntos para reduzir imigração ilegal.

O México tem um papel fundamental nos planos de Biden voltados à imigração. No começo do mês, o país ajudou a coordenar esforços na América Central para conter um grande grupo de imigrantes que tinha os Estados Unidos como destino.

Logo depois de tomar posse como presidente dos Estados Unidos na quarta (20), Biden assinou 17 decretos para desfazer políticas instituídas por Donald Trump.

Entre elas, está a revogação da declaração de emergência que ajudou a financiar a construção de um muro na fronteira dos EUA com o México. Planejado para manter os imigrantes fora do país, o muro foi uma das principais promessas da campanha de Trump em 2016.

Já o presidente mexicano, López Obrador, fez uma postagem em suas redes sociais dizendo que a conversa com Biden havia sido "agradável e respeitosa".

"Tratamos de questões relacionadas com a imigração, a #covid19 e a cooperação para o desenvolvimento e o bem-estar. Tudo indica que as relações serão boas para o bem dos nossos povos e nações", escreveu.

Um comunicado do Ministério mexicano das Relações Exteriores detalhou que López Obrador celebrou que Biden tenha reconhecido "as contribuições da comunidade imigrante mexicana nos Estados Unidos". Também reiterou a posição de seu governo de que a solução para o fenômeno da imigração "passa pela promoção do desenvolvimento nas comunidades de origem".

Além do presidente mexicano, Biden também conversou na sexta com o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau. Ambos concordaram em ter uma nova conversa no próximo mês.

A Casa Branca informou que, durante sua teleconferência de meia hora, Biden e Trudeau "destacaram a importância estratégica" do vínculo entre os dois países e discutiram como reforçar a "cooperação bilateral com uma agenda ampla e ambiciosa" que inclui a luta contra a pandemia da Covid-19, o fortalecimento dos laços econômicos e de defesa, além do desafio do aquecimento global.

As ligações foram as primeiras com líderes estrangeiros desde que o democrata assumiu o cargo em 20 de janeiro.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.