ASSINE

Prefeitura de Ibitirama tem surto de Covid e passa por desinfecção

Em 15 dias, administração municipal registrou pelo menos sete casos confirmados da doença, entre eles o prefeito da cidade, Paulo Lemos (PSD), de 83 anos

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 17/05/2021 às 16h58
Prefeitura de Ibitirama
Prefeitura de Ibitirama: prédio passa por desinfecção nesta segunda-feira (17). Crédito: Site da Câmara Municipal de Ibitirama

Pelo menos sete servidores e autoridades da administração municipal de Ibitirama, na Região do Caparaó, no Espírito Santo, tiveram diagnósticos positivos para Covid-19 nos últimos 15 dias – cinco deles apenas entre a última semana e esta segunda-feira (17). Os casos foram confirmados no gabinete do prefeito e nas secretarias de Administração, de Obras e de Saúde. O chefe do Executivo municipal, Paulo Lemos (PSD), de 83 anos, também está com a doença provocada pelo novo coronavírus.

Ibitirama tem 8,8 mil habitantes. Desde o início da pandemia, o município registrou 369 casos de infecção e dez óbitos causados pela doença, segundo o Painel Covid-19, ferramenta da Secretaria de Estado de Saúde (Sesa).

Com a onda de casos na administração municipal, o prédio que abriga a prefeitura e as pastas de Administração e Fazenda foi fechado para desinfecção nesta segunda e as atividades foram paralisadas. Já o edifício em que funciona a Secretaria de Saúde passou pelo procedimento na semana passada.

Até o momento, todos os servidores que estão com Covid-19 relataram sintomas leves ou moderados. Ninguém precisou ser hospitalizado. Tiveram o diagnóstico confirmado o prefeito e o motorista dele, o secretário e uma servidora da pasta da Administração e o chefe do Departamento de Motoristas da Secretaria de Obras, além de dois servidores da Saúde.

O prefeito de Ibitirama, Paulo Lemos, já tomou as duas doses da Coronavac e, de acordo com familiares, apresenta sintomas leves da doença. "Mas estamos monitorando todos os dias. Ele está em casa e, graças a Deus, bem", afirmou Ana Paula Lemos, filha do gestor.

Ao todo, 30 pessoas frequentam o prédio da prefeitura e todos estavam trabalhando presencialmente, segundo o secretário municipal de Administração, Renan Leal, que está entre os infectados pela Covid-19.

"Não temos a estrutura para home office. Isso ainda não é uma realidade na nossa prefeitura. Temos processos físicos e não temos como parar de trabalhar. É a prefeitura que atua no combate à doença. Estou em casa, mas meu celular não para de tocar", disse.

É a segunda vez que Leal enfrenta a doença. A primeira foi em setembro do ano passado. O secretário projeta que as rotinas administrativas da prefeitura serão retomadas nos próximos dois dias, com a realização de testes rápidos nos servidores. O prédio será reaberto ainda nesta terça-feira (18).

"Tomamos todas as medidas necessárias de cuidado, afastamos os servidores com sintomas, fechamos a prefeitura para desinfecção e, amanhã (terça), vamos começar a testar [os servidores]. Quem der negativo, vai voltando para o trabalho, por enquanto, só rotinas administrativas, ou seja, sem atendimento ao público", explicou Leal.

Na pasta da Saúde, onde 22 pessoas trabalham, os próprios funcionários fizeram uma desinfecção no prédio, de acordo com a servidora da Policlínica Gleisi Queiroz. "Como a Vigilância Sanitária funciona aqui no prédio, seguimos as orientações e ficamos dois dias fechados para desinfecção. Nesta semana, tudo voltou à normalidade e não tivemos mais servidores com sintomas", relatou. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.