ASSINE

Barroso arquiva caso de desembargador que mandou soltar Lula

A PGR (Procuradoria-Geral da República) pediu investigação contra Favreto, a quem acusa de agir por interesse pessoal ao conceder habeas corpus para soltar Lula

Publicado em 03/04/2019 às 19h28
Barroso arquiva caso de desembargador que mandou soltar Lula. Crédito: Nelson Jr | STF | Arquivo
Barroso arquiva caso de desembargador que mandou soltar Lula. Crédito: Nelson Jr | STF | Arquivo

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal) arquivou o processo contra o desembargador Rogério Favreto, do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), que mandou soltar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em julho.

A PGR (Procuradoria-Geral da República) pediu investigação contra Favreto, a quem acusa de agir por interesse pessoal ao conceder habeas corpus para soltar Lula.

Em sua decisão, Barroso afirma que Favreto estava no "exercício da jurisdição quando deferiu o pedido de liminar" e agiu nos limites de suas atribuições de maneira fundamentada.

O magistrado diz ainda que é "pouco provável a tese de ação entre impetrantes do habeas corpus e o desembargador".

Barroso também argumenta que "independentemente de se discordar ou não da decisão, ela não pode ser qualificada como inconsistente, artificial ou inverídica como afirma o Ministério Público".

Para o advogado Pierpaolo Bottini "punir o desembargador implicaria inadmissível censura a liberdade de decidir".

A Gazeta integra o

Saiba mais
brasil justiça lula stf

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.