ASSINE

Vereador suspeito de mandar matar ativista chega a Linhares

Ao sair algemado do carro da Polícia Civil, o vereador afirmou: "Eu sou inocente. Os culpados estão soltos. Estou pagando por coisas que não fiz"

Linhares
Publicado em 30/07/2021 às 09h13
Waldeir de Freitas (PTB). Crédito: Paula Brazão
Waldeir de Freitas (PTB). Crédito: Paula Brazão

O vereador Waldeir de Freitas (PTB) chegou à 18ª Delegacia Regional de Linhares, Norte do Espírito Santo, na manhã desta sexta-feira (30). Ele é suspeito de ser o mandante do assassinato do candidato a vereador nas Eleições 2020 Jonas da Silva Soprani, de 48 anos. Ao sair algemado do carro da Polícia Civil, o vereador afirmou: "Eu sou inocente. Os culpados estão soltos. Estou pagando por coisas que não fiz".

À reportagem de A Gazeta, o titular da Delegacia de Linhares, delegado Fabrício Lucindo, afirmou que existem elementos que apontam para o envolvimento de Freitas como mandante do crime, mas que não pode passar mais informações para não prejudicar as investigações. 

Freitas foi preso na manhã de quinta-feira (29) em um hotel de Belo Horizonte (MG). Ele estava na cidade para participar de um curso. A prisão ocorreu após troca de informações entre as polícias Civis de Minas e do Espírito Santo. 

Durante a tarde, o delegado afirmou que o vereador prestou depoimento e negou a participação na morte de Soprani. Segundo a Polícia Civil, o vereador foi encaminhado para o CDP de Colatina.

A equipe de A Gazeta tentou falar com a defesa do vereador, mas não conseguiu contato nesta sexta-feira. 

Vereador suspeito de mandar matar ativista chega em Linhares

O CASO

Jonas da Silva Soprani foi assassinado a tiros na noite do dia 23 de junho, em um bar do bairro Novo Horizonte. Ele era conhecido no município pela atuação na política. Em um perfil nas redes sociais, postava vídeos onde dizia fiscalizar o trabalho da prefeitura e da Câmara Municipal. Em 2020, foi candidato a vereador pelo PSB, teve 57 votos e não foi eleito.

O QUE DIZ A CÂMARA

Procurada pela reportagem de A Gazeta na manhã desta sexta, a Câmara enviou nota afirmando que não foi notificada oficialmente e aguarda a conclusão das investigações.

"A Câmara Municipal de Linhares informa que ainda não foi notificada oficialmente sobre a prisão do vereador Waldeir de Freitas Lopes (PTB).

Destaca que o Inquérito Policial tramita em segredo de Justiça, o que impossibilita, no momento, a avaliação para adoção de qualquer eventual providência.

A Câmara aguarda a conclusão das investigações e permanece à disposição das autoridades.”

A Gazeta integra o

Saiba mais
Linhares Polícia Civil linhares ES Norte

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.