ASSINE

Suspeito de matar motorista de aplicativo é preso em Venda Nova

Amauri Bissoli, de 32 anos, foi encontrado carbonizado ao lado de carro incendiado. O detido de 18 anos negou o crime, depois entrou em contradição. Já um adolescente de 15 anos que estava com ele disse que a intenção era roubar e matar a vítima

Publicado em 15/04/2021 às 17h51
Atualizado em 15/04/2021 às 17h51
Carro foi encontrado na zona rural de Venda Nova do Imigrante
Carro de motororista de aplicativo foi encontradado incendiado . Crédito: Redes sociais

Um jovem de 18 anos foi preso nesta quarta-feira (14) em Venda Nova do Imigrante, na Região Serrana do Espírito Santo, suspeito de ter matado o motorista de aplicativo Amauri Bissoli, de 32 anos, no dia 21 de março. O corpo da vítima foi encontrado carbonizado ao lado do carro, que foi incendiado na localidade de Caxixe.

Segundo a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Venda Nova do Imigrante, o suspeito, que não teve o nome relevado pela polícia, foi encontrado na casa dos pais e não resistiu à prisão. “Até o momento, as investigações apontam que o suspeito e a vítima haviam marcado um encontro através de um aplicativo (em 21 de março, um domingo). Na manhã de segunda-feira (22), o carro da vítima foi encontrado incendiado, a menos de um quilômetro da residência onde pais do suspeito moram”, relatou o delegado Alberto Roque Peres, titular da DHPP de Venda Nova.

Durante as investigações, a polícia descobriu que o suspeito comprou combustível em um posto que fica na mesma região do crime, por volta das 19h de 21 de março. O jovem estava em companhia de outra pessoa, um adolescente de 15 anos, já identificado. A compra foi registrada por câmeras de videomonitoramento.

O adolescente que aparece nas imagens do posto prestou depoimento na tarde desta quinta-feira (15). “A investigação ainda está em andamento. Em seu depoimento, o menor afirmou que a intenção, desde o início, era roubar e matar a vítima, e usar o dinheiro para comprar entorpecentes, pois os dois são dependentes químicos. O carro, segundo o depoimento, já estava negociado, mas o comprador não apareceu. Ele afirmou ainda que mataram a vítima asfixiada com um saco plástico, incendiaram o veículo e levaram um celular e mil reais em dinheiro”, afirmou o delegado.

Em depoimento, o detido de 18 anos primeiro negou o crime, depois entrou em contradição. Por fim, optou por dar declarações apenas em sede judicial.

O adolescente foi liberado após o depoimento, pois não havia contra ele mandado de apreensão. A delegacia de Venda Nova do Imigrante ainda está coletando outras informações e aguardando os laudos da perícia, que serão confrontados com a declaração do adolescente.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.