ASSINE

Suspeito de gerar prejuízo de mais de R$ 20 milhões em golpe no ES é preso

Homem de 52 anos, suspeito de aplicar o golpe do "assessor de investimento falso", foi preso nesta terça-feira (24); ele pode ter feito mais de 10 vítimas na Grande Vitória

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 25/08/2021 às 11h10
Suspeito de gerar prejuízo de mais de R$ 20 milhões em golpe no ES é preso
Suspeito de gerar prejuízo de mais de R$ 20 milhões em golpe no ES é preso. Crédito: Divulgação/PCES

Um homem de 52 anos, suspeito de praticar o golpe do "assessor de investimento falso", foi preso pela Polícia Civil nesta terça-feira (24). De acordo com a corporação, ele teria feito pelo menos 10 vítimas na Grande Vitória e causado um prejuízo de mais de R$ 20 milhões. O nome do detido não foi divulgado pela polícia.

A delegada-geral adjunta da Polícia Civil, Denise Maria Carvalho informou que o suspeito fazia investimentos para familiares antes de começar a aplicar os golpes e o classificou como uma pessoa de aparência agradável, que sabe se expressar e tem o dom da persuasão.

"Ele oferecia investimentos vantajosos na bolsa. Ele começou fazendo investimentos para familiares e, como era uma pessoa que tinha o dom da persuasão, tinha boa aparência, sabia se expressar muito bem, começou a captar mais pessoas, que entregavam a ele uma quantia para investimento. Depois de algum tempo, essas pessoas começavam a perceber que, na verdade, elas estavam recebendo prejuízo porque aquele dinheiro não estava sendo investido como era prometido", contou.

Conforme explicado pela delegada-geral, o suspeito chegava a retornar os lucros para as vítimas, mas negava a devolução do dinheiro quando era requisitado todo o capital investido ou uma parcela maior. Até o momento, dez vítimas foram identificadas pela polícia, mas Denise Maria Carvalho acredita que mais pessoas possam ter sido enganadas pelo suspeito na Grande Vitória.

SOBRE O GOLPE

O titular da Delegacia Especializada em Defraudações e Falsificações (Defa), Douglas Vieira, explicou que o suspeito é classificado como "assessor de investimento falso" pela polícia. Segundo o delegado, trata-se de um golpe aplicado em todo o Brasil, tendo inclusive vitimado a atriz Juliana Paes recentemente. Ele relatou que o suspeito preso pela Polícia Civil começou a investir na Bolsa de Valores ainda em 2008 para familiares.

"Os próprios familiares foram fazendo propaganda, boca a boca. A partir daí ele começou a captar recursos de vários conhecidos. Ele fala bem, se expressa bem, tem cultura, então ele ia captando os valores, com rendimentos de, em média, 2% a 2,5% ao mês. Em um determinado momento, quando a vítima precisava sacar algum valor mais expressivo, R$ 250 mil, R$ 300 mil, aí começava o drama, porque o dinheiro não aparecia. E, então, eles percebiam que haviam sido vítimas de um golpe", disse.

Suspeito de gerar prejuízo de mais de R$ 20 milhões em golpe no ES é preso
O Delegado Douglas Vieira, titular da Defa, disse que foram mais de 10 vítimas do golpe na Grande Vitória. Crédito: Divulgação/PCES

O delegado explicou que, para investir na Bolsa de Valores, é necessário buscar uma corretora especializada no serviço e o suspeito pedia o dinheiro às vítimas para que ele mesmo investisse nessa corretora. Douglas Vieira orienta que a população procure sempre saber sobre os profissionais a quem está sendo confiado o dinheiro, que busquem saber se a pessoa possui alguma preparação para realizar investimentos dessa forma.

"É importante checar se a pessoa faz parte alguma instituição financeira renomada regulamentada. Você pode consultar o site da CVM, a Comissão de Valores Mobiliários, e o Banco Central. Esse profissional tem que ter uma certificação para atuar nesse ramo. Ele consegue isso na Ambima, a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais. Então, tem que perguntar se tem o credenciamento, se tem o certificado. E mais: se apresentar o certificado, conferir junto às associações se realmente ele fez o curso. Qual a experiência ele tem no mercado? São questões que sempre aconselhamos o cidadão a perguntar", detalhou.

SOBRE AS VÍTIMAS

Uma das vítimas é um empresário que, em abril de 2019, entregou R$ 2,9 milhões para o golpista investir. Segundo o delegado Douglas Vieira, a vítima possui uma empresa que emprega muitos funcionários e a promessa era de um rendimento de 2,4% ao mês, desde que ele deixasse o valor investido por um período de seis meses. 

"No momento em que ele precisou resgatar um valor, em março deste ano, resolveu resgatar R$ 245 mil, mas o dinheiro não apareceu. Aí ele precisou resgatar o restante, e o dinheiro também não veio. Ele foi à empresa, que não mais se encontrava naquele local. O cidadão não mais respondia suas mensagens. Em síntese, como ele não tinha esse valor, ele teve que pedir empréstimos em outros bancos, a juros altíssimos", detalhou.

Outra vítima, também um empresário, começou a investir em 2012 com o suspeito e o montante aplicado chegou a mais R$ 10 milhões. Segundo o delegado, esse homem tentou reaver, inicialmente, um valor de R$ 200 mil, mas não conseguiu o dinheiro de volta. Ele tentou novamente pegar de volta R$ 6 milhões, mas também não conseguiu e percebeu que havia caído em um golpe.

O titular da Defa apontou ainda a terceira vítima, uma idosa de 80 anos que entregou ao suspeito R$ 250 mil — que seria a economia de toda a sua vida. O delegado contou que, segundo a vítima, sua intenção era conseguir os juros e ter uma aposentadoria mais tranquila.

"Ela também foi surpreendida pelo golpe. Nem uma senhora com idade avançada ele teve esse pudor. Ele demonstra não ter muitos limites. Tem muitas outras vítimas, mas muitas militam na área cível. O alerta que eu faço para a população é que o estelionato depende de apresentação e o prazo, a partir do momento em que você toma conhecimento do golpe, que você sabe quem é o autor, se você não representar em seis meses, não posso mais puni-lo pelo estelionato. Se você está desconfiado, faça o boletim (de ocorrência), pelo menos você garante a possibilidade de, no futuro, iniciarmos a investigação", finalizou.

Atualização

25 de Agosto de 2021 às 18:35

Após a publicação desta matéria, a Polícia Civil realizou coletiva de imprensa, detalhando como o golpe funcionava e citando exemplos das situações de algumas vítimas. As informações foram inseridas no texto.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.