ASSINE

Policial do ES é condenado a 12 anos de prisão pelo estupro da filha

Militar de 36 anos está preso preventivamente desde dezembro de 2020. A namorada dele também foi condenada, por ter tentando influenciar a vítima a mudar depoimento contra o pai

Tempo de leitura: 2min
Publicado em 05/01/2022 às 14h34
Pai da vítima e suspeito de estuprá-la, policial nega abusos sexuais
Policial militar concedeu entrevista à TV Gazeta em 2020 e negou abusos sexuais. Crédito: Reprodução | TV Gazeta

Um policial militar do Espírito Santo, de 36 anos, foi considerado culpado pelo estupro da própria filha, uma menina que atualmente tem 14 anos. Conforme a decisão da Justiça, ele deverá cumprir 12 anos e nove meses de prisão pelo crime. O nome dele não será divulgado para preservar a identidade da vítima.

caso veio à tona em agosto de 2020, quando a adolescente contou para a mãe os abusos sofridos. "Ele começou a me beijar, na minha nuca; e eu fingindo que estava dormindo para não acontecer nada. Ele fez uma coisa muito ruim comigo", contou a menina, que tinha 13 anos na ocasião. Na época, a mãe falou sobre o caso à TV Gazeta.

Mãe da menina

Identidade preservada por causa da criança

"O pai segurou as mãozinhas dela, beijou a boca da minha filha, tirou o shorts e a calcinha dela e fez sexo oral. Ela chorando, disse: 'Pai, não faz isso, eu sou sua filha'"

Na ocasião, o policial militar ainda estava em liberdade e negou o estupro. "Nunca abusei sexualmente da minha filha. Ela teve um sonho e foi para o meu quarto. Eu estava sem roupa, dormindo. Quando ela deitou do meu lado, achei que era a minha namorada e dei um beijo. Depois, perdi perdão e ela saiu", disse.

NAMORADA TAMBÉM FOI CONDENADA

Este vídeo pode te interessar

Citada pelo acusado, a namorada dele também foi condenada pela Justiça, por ter tentando influenciar a vítima a mudar o depoimento contra o pai. A condenação estipulada foi de dois meses e 20 dias de detenção e o pagamento de multa. A pena será cumprida inicialmente em regime aberto.

POLICIAL RESPONDE POR OUTRO PROCESSO

Além do estupro da própria filha, o policial militar responde a outro processo na Justiça. Ele também teria estuprado uma adolescente, que na época tinha 15 anos, e era vizinha da família. O crime teria sido praticado em 2019 — cerca de um ano antes dos abusos relatados acima.

O QUE DIZ A PM

Polícia Militar informou que o agente está preso desde dezembro de 2020 no presídio militar devido a um mandado de prisão preventiva. Ainda de acordo com a corporação, um processo administrativo disciplinar foi instaurado contra o policial e segue em andamento.

O OUTRO LADO

Responsável pela defesa do policial militar, o advogado Claudius Caballero enviou uma nota afirmando que não se manifesta, "tendo em vista que o processo tramita em segredo de justiça". A reportagem de A Gazeta não conseguiu contato com a defesa da namorada do policial e reforça este espaço para manifestação.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Espírito Santo Polícia Militar Estupro Estupro de vulnerável

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.