ASSINE

Polícia prende receptador com fios roubados avaliados em R$ 50 mil no ES

Foram apreendidos 80 rolos de fios de cobre, além de dinheiro em espécie e muitos fios de cobre. Homem de 58 anos, preso com  material, é apontado como um dos principais receptadores de fios de cobre proveniente de roubos na Grande Vitória

Vitória
Publicado em 07/01/2021 às 12h53
Atualizado em 07/01/2021 às 15h36
Polícia
Com o receptador, a polícia apreendeu 80 rolos de fios de cobre avaliados em R$ 50 mil. Crédito: Divulgação/Polícia Civil

Polícia Civil tirou de circulação e prendeu um homem de 58 anos apontado como um dos principais receptadores de fios de cobre proveniente de roubos na Grande Vitória. A prisão ocorreu na cidade de Cariacica, na Grande Vitória, e faz parte de uma grande investigação da Delegacia Especializada de Crimes Contra Estabelecimento Comercial (DECCEC).

O criminoso, que não teve o nome divulgado porque as investigações prosseguem, foi preso em flagrante, em casa, e no imóvel foram apreendidos cerca de 80 rolos de fio de cobre, com valor aproximado de R$ 50 mil reais. Além disso, uma quantia em espécie também foi levada pelos policiais na operação liderada pelo delegado titular Gabriel Monteiro.

Os fios de cobre são visados porque o metal possui alto valor comercial no mercado paralelo e tem fácil saída devido a ampla utilização que o material possui em diversos segmentos. O produto é muito utilizado em semáforos e postes de iluminação pública, por exemplo.

O chefe da Polícia Civil no Estado, o delegado José Darcy Arruda, que também participou da coletiva realizada na manhã desta quinta-feira (7), explicou que o foco da ação é nos receptadores de fios de cobre e consequentemente enfraquecer a cadeia de furtos.

"Esse tipo de ocorrência de furto de fios de cobre tem causado grandes transtornos. Recentemente um delegado até fez uma prisão em flagrante de pessoas que estavam furtando, mas é importante que possamos intervir nesse processo da cadeia de crime secundário, neste caso a receptação. Se eles não encontrarem o receptador, a pessoa que está pronta para receber esse produto, não há sentido em praticarem esse tipo de furto", destacou arruda.

PENA MAIS RÍGIDA

Além do prejuízo financeiro com o valor estimado em cerca de R$ 50 mil reais e também quantia de R$ 1,7 mil em espécie apreendidos, o receptador agora responderá por um crime mais grave e inafiançável, como explicado por Monteiro.

Polícia
Participaram da coletiva os delegados Gabriel Monteiro, à esquerda, e o chefe da PC no Estado, José Darcy Arruda. Crédito: Divulgação/Polícia Civil

"Ele foi conduzido para a delegacia, foi autuado pelo crime de receptação qualificada, cuja pena varia de 3 a 8 anos e não cabe fiança na esfera policial. Posteriormente foi conduzido ao presídio e agora está à disposição da Justiça. Além dos fios, apreendemos dinheiro em espécie, que segundo o próprio indiciado seria já proveniente da venda desse material. Nossas investigações apontaram uma movimentação muito grande nessa residência onde foi preso. Desta forma acreditamos que ele estaria abastecendo esse mercado negro", detalhou o chefe da Delegacia Especializada de Crimes Contra Estabelecimento Comercial.

Mesmo com a prisão do receptador, a polícia prosseguirá investigando esse tipo de crime e também entrará em contato com estabelecimentos comerciais do ramo para identificar se parte desse material foi subtraído das lojas ou desviados por funcionários eventualmente envolvidos nesse tipo de comércio ilegal de fios.

A polícia pede que a população denuncie por meio do Disque-Denúncia 181 pessoas que estiverem recebendo ou comercializando clandestinamente fios de cobre.

Alguns desses fios foram furtados de estabelecimento comercial. É um ramo que está prejudicando demais vários setores. Por isso que a pena do receptador, aliada á venda clandestina, tem uma punição mais pesada, dando cadeia mesmo. Ele atuava como um centro clandestino de distribuição e comércio de fios de cobre. "Após ser preso, ele informou que compra esses materiais e inclusive anuncia em sites de vendas, como revende para quem chegar lá e quiser comprar", destacou os delegados na coletiva.

A Polícia Civil ainda informou que o receptador já havia sido preso antes pelo crime de tráfico de drogas.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.