ASSINE

Empresa tem cabos de energia furtados três vezes em 10 dias em Vila Velha

Furtos aconteceram entre o dia 12 deste mês e esta sexta-feira (22), em um prejuízo estimado de R$ 11 mil até o momento; empresa teve de ficar dias parada por causa dos crimes

Vitória
Publicado em 22/10/2021 às 10h35
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias. Crédito: Arquivo Pessoal

Uma empresa teve cabos de energia furtados três vezes em um intervalo de 10 dias, no bairro Rio Marinho, em Vila Velha. Os furtos aconteceram entre o último dia 12 e esta sexta-feira (22). O prejuízo estimado até o momento é de R$ 11 mil , mas, de acordo com o empresário Alexandre Soares de Oliveira, dono da empresa, esse valor pode crescer.

Alexandre contou, em entrevista à TV Gazeta, que o valor de R$ 11 mil foi contabilizado até esta quinta-feira (21). Durante a madrugada desta sexta-feira (22), porém, a empresa foi furtada mais uma vez, então o prejuízo pode ser ainda maior. O empresário disse, porém, que o problema maior são os quase 30 funcionários, que podem ser prejudicados pelos constantes arrombamentos.

"Até a data de ontem (21), estávamos com um prejuízo estimado de R$ 11 mil. Com o prejuízo de hoje (22), que houve mais um furto, a gente não sabe qual será o prejuízo maior. Nosso prejuízo maior são as famílias que estamos alimentando, tentando ajudar toda a comunidade, trazendo pessoas para trabalhar com a gente. Mas a gente não está aguentando mais", lamentou.

Empresa é furtada três vezes em dez dias em Vila Velha

A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias. Arquivo Pessoal
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias. Arquivo Pessoal
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias. Arquivo Pessoal
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias. Arquivo Pessoal
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias. Arquivo Pessoal
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias. Arquivo Pessoal
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias. Arquivo Pessoal
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias. Arquivo Pessoal
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias. Arquivo Pessoal
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias. Arquivo Pessoal
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias
A empresa, que fica em Rio Marinho, bairro de Vila Velha, foi furtada três vezes em um intervalo de dez dias

Alexandre detalhou que o primeiro furto aconteceu entre os dias 12 e 13 de outubro, e a empresa teve de ficar três dias parada. Logo depois de abrir novamente, entre o domingo (17) e a segunda (18), criminosos entraram novamente no espaço da empresa e levaram mais fios, deixando o estabelecimento parado por mais três dias. Quando Alexandre voltou a abrir as portas, mais um furto aconteceu.

"O primeiro foi do dia 12 para o dia 13, ficamos três dias parados. Conseguimos trabalhar em um dia. Passou o final de semana, do domingo para a segunda-feira, aconteceu tudo de novo, ficamos mais três dias parados. Começamos a trabalhar na quinta-feira (21) e, hoje, foi tudo roubado novamente. Cabos da EDP, medidores, tudo. E com tentativa de arrombamento todas as vezes", argumentou.

Para o empresário, pela maneira com que os furtos estão sendo feitos, tratam-se de pessoas especializadas em furtos como esses. Ele contou que os criminosos cortam a energia diretamente do abastecimento da EDP, concessionária que fornece energia elétrica ao Estado, para o relógio da empresa, o que levantou essa suspeita.

"Da maneira que estão fazendo, são pessoas especializadas, conhecedores. Eles estão cortando energia da EDP para o meu relógio e fazendo o furto. Não são pessoas desconhecidas, são pessoas que sabem o que estão fazendo", finalizou.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.