> >
Dono de agência é condenado a prisão por abusar de modelos no ES

Dono de agência é condenado a prisão por abusar de modelos no ES

Moacir Pereira Junior foi  condenado a 19 anos de prisão por ter abusado de seis jovens menores de idade, na época em que elas trabalhavam para ele; crime acontecia em Vila Velha, desde 2013

Publicado em 12 de maio de 2020 às 15:08

Ícone - Tempo de Leitura 0min de leitura
Dono de agência de modelo acusado de estupro na Grande Vitória
Dono de agência de modelo é condenado por estupro na Grande Vitória . (Reprodução rede social )

Dono de uma agência de modelos, o empresário Moacir Pereira Júnior (31) foi condenado a 19 anos e quatro meses de prisão por estupro de vulnerável, praticado contra seis jovens menores de idade que trabalharam com ele entre os anos de 2013 e 2017. Denominada Ego MGTM, a empresa tem sede em Vila Velha, na Grande Vitória. Desde outubro do ano passado, ele está preso preventivamente. 

De acordo com a denúncia do Ministério Público do Espírito Santo (MPES), o empresário aproveitou da autoridade e da influência que tinha enquanto agenciador de modelos para "praticar atos libidinosos com as adolescentes mediante fraude, violência e constrangimento".

Além do próprio depoimento detalhado das vítimas, o MPES também apontou que foram encontradas nos equipamentos eletrônicos do agenciador "imagens de menores de idade praticando sexo oral e em poses eróticas, havendo, ainda fotos de nudez". A condenação de Moacir foi proferida neste mês de maio pela 3ª Vara Criminal de Vila Velha.

Para a mãe de uma das vítimas, a condenação do agenciador representa um alívio. A filha tinha apenas 14 anos quando foi chamada pelo empresário para fazer fotos no estúdio. A menina foi até o local achando que a assistente de Moacir acompanharia a sessão - o que não aconteceu.

Aspas de citação

Ele começou a fazer fotos normais. Em seguida, chegou a oferecer álcool para ela, mas ela recusou e falou que não bebia. Até hoje ela não bebe. Depois, ele perguntou se ela tinha algum segredo, algo que não contava para os pais e ela disse que não, que era uma criança

Mãe de uma das vítimas
A identidade foi preservada
Aspas de citação

Após esse primeiro momento, as investidas começaram a ser mais incisivas. "Ele falou que para ser modelo ela não podia ter vergonha, tinha que perder a timidez. Convenceu ela a tirar a parte de cima da roupa e a fotografar. Depois a convenceu a fazer fotos tapando só os seios. Ele chegou a pedir que ela o tocasse. Ela falou que iria ligar para mim e depois ele levou a mão dela para o pênis dele", revelou a mãe.

Apesar de notar o comportamento estranho da filha, a mãe só soube do relato completo quando foi até a Delegacia de Crimes Contra a Criança e ao Adolescente (DPCA). No local, ela disse ter descoberto que as fotos de algumas meninas haviam sido colocadas em sites de prostituição.

O relato da filha desta mulher foi semelhante ao de outras meninas ouvidas no processo. Com algumas, no entanto, os abusos chegaram a ser mais extensos, havendo prática de sexo oral e conjunção carnal - crimes que teriam feito uma das jovens pensar em suicídio, de acordo com o relato de outra mãe, à época da prisão do empresário.

A ex-assistente de Moacir, que mantém contato com as vítimas e chegou a auxiliar a polícia a encontrar provas contra o empresário, considera justa sua condenação.

Aspas de citação

As meninas me falam que podem haver mais vítimas, mas elas não quiseram denunciar por medo dos pais descobrirem e por medo de atrapalhar a carreira. Ele se aproveitou do sonho dessas meninas

Ex-assistente de Moacir
A identidade foi preservada
Aspas de citação

O advogado do empresário, Daniel Leal, confirmou a sentença de condenação e afirmou que foi um susto para todos. Adiantou que pretende recorrer da decisão dada em primeira instância e que está buscando uma forma de protocolar a apelação, já que em razão da pandemia de coronavírus, o funcionamento do Judiciário foi alterado.

A Gazeta não conseguiu confirmar se agência de Moacir continuou funcionando após sua prisão. Nas redes sociais, os perfis da agência não são atualizados desde outubro do ano passado.

*Com informações do G1 ES

Este vídeo pode te interessar

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rapido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta

A Gazeta integra o

The Trust Project
Saiba mais