ASSINE

Coronavírus no ES: veja as últimas medidas anunciadas por Casagrande

O governador Renato Casagrande convocou nova coletiva de imprensa para a tarde desta sexta-feira (17); veja o que foi dito

Publicado em 17/04/2020 às 18h34
Atualizado em 17/04/2020 às 19h59

19:13

Fim da transmissão

"Muito obrigado a todos, bom trabalho e até amanhã".


19:11

Impacto da crise

"O impacto da crise sobre nós é muito forte. Eu já disse que terei esse esse balanço depois do dia 20. Teremos uma ideia do mês de abril, da redução de receita para nós. O impacto é grande pela Covid e pelo petróleo. Vamos perder, só no petróleo, R$ 1,3 bilhão este ano. Vamos renegociar contratos, tomar diversas medidas a partir desse momento para reduzir despesas, sim. É uma decisão importante que estamos tomando para que a gente não entre em colapso com as nossas contas. Não temos clareza por quanto tempo viveremos isso. Estamos trabalhando para que o congresso vote as medidas de ajuda para os Estados e municípios".


19:10

Importação de kits

"Com relação a importação de produtos, o nosso não conseguiu sair da China. Esse foi um grande problema que tivemos. Sempre tomamos cuidados, mas o produto não conseguiu sair do local".


19:06

Uso de máscaras pode virar decreto?

"Tem possibilidade de virar decreto. Primeiro estamos recomendando para a população. Para trabalhadores, é protocolo que está nos nossos decretos. Pode virar uma determinação. É bom que as pessoas se convençam dessa necessidade".


19:05

Pessoas em situação de rua

"Através da Secretaria de Direitos Humanos, repassamos recursos e estamos também trabalhando junto com os municípios em estabelecimentos, locais, onde moradores de rua poderão ter todo o amparo de higiene e orientação. Está, sim, em operação uma proposta que a secretária Nara está conduzindo para nós".


19:04

Banestes

"O Banestes será um banco repassador desse recurso. Já é credenciado junto ao BNDES e certamente estará operando nessa linha. Não tenho informação, mas tenho certeza que o banco já está se mobilizando para operar nessa linha também. É muito importante para o empresário".


19:00

Medidas econômicas

"O Fundo de Aval é de R$ 100 milhões. R$ 30 milhões para microempreendedor, autônomos, artesãos. R$ 70 milhões é para microempresas. São valores definidos para cada segmento, e começa a ser operado na semana que vem".


18:58

Painel Covid

"Eu sei que existem essas incongruências de alguns dados no painel. Dados são lançados pelos municípios. Quando era na planilha, no papel, demorávamos para corrigir essas incoerências. Esses dados serão corrigidos, municípios precisam aperfeiçoar o lançamento. Sobre a questão dos casos curados, não sei explicar nesse momento".


18:53

Fechamento do comércio

"Tomamos decisões na hora certa, na hora da transmissão local. Conseguimos ganhar tempo. Apesar de perdermos vida, o sistema de saúde está suportando. Tomamos decisão por recomendação e orientação técnica, dos profissionais de saúde. Eu tenho convicção que conseguimos salvar vidas. Com relação a reunião com as associações comerciais, foi muito boa. Deram muitas sugestões. Há, sim, sugestões importantes que levaremos em consideração. Pode ser que a nossa avaliação, e eu como governador, permita que alguns municípios com número menor de casos, tenha possibilidade de abrir atividade comercial, sabendo que se a situação do município se agravar, o comércio será fechado novamente".


18:49

Afirmações do presidente

"O presidente Bolsonaro tem dado declarações que demonstram claramente uma falta de preocupação com a vida dos brasileiros. Desde o primeiro momento ele não tem mostrado preocupação em preservar a vida. O governo federal tomou decisões importantes. Mas as declarações do presidente, como o Mandetta disse, entra na cabeça das pessoas. Pedimos para reduzir interação, presidente pede para aumentar. Precisamos de 'tratamento de choque' neste momento. Vocês estão vendo o que está acontecendo nos Estados que não se prepararam. A palavra do presidente é sempre em um desequilíbrio. Ele diz que tem preocupação com a vida e com a economia, mas não fala da área de saúde. É só olharmos o que os líderes mundiais estão fazendo para verificar que ele tem manifestado opiniões contraditórias e diferente do que todos estão fazendo. Aqui no Espírito Santo, estamos seguindo recomendações da Saúde. Estamos buscando, agora, meio de conciliar distanciamento, isolamento do grupo de risco, conciliar a não aglomeração de pessoas com protocolos rigorosos. Acho que esse é o caminho que temos. Aqui no Estado, mais de 70% apoia o isolamento e não aglomeração".

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.