ASSINE

Alunos de escola em Anchieta passam mal após comerem merenda

Quase 30 crianças apresentaram sintomas de intoxicação e lotaram hospital e posto de saúde da cidade

Publicado em 17/02/2018 às 09h37
Hospital do Mepes, em Anchieta. Crédito: Reprodução/Mepes
Hospital do Mepes, em Anchieta. Crédito: Reprodução/Mepes

Cerca de 30 crianças da Escola Municipal Padre Anchieta, em Novo Horizonte, bairro de Anchieta, no Sul do Espírito Santo, passaram mal com sintomas de intoxicação alimentar e foram internadas no final da tarde desta sexta-feira (16) na unidade de Pronto Atendimento (PA) e no Hospital do Mepes do município.

Conforme relato da mãe de uma criança de sete anos que passou mal após ingerir a comida, Eunice Freitas, os alunos comeram a merenda oferecida pela escola. Ele é estudante do 3º ano. “Meu filho chegou em casa dizendo que alguns colegas haviam vomitado no ônibus. Durante o banho, ele começou a passar mal também. Liguei para a diretora que me disse que outras mães também tinham ligado informando o mesmo problema, corri com ele para o PA”, conta.

O menino ficou no soro até por volta das 2h da manhã e depois teve alta. “Era tanta criança que não cabia na ala infantil. Meu filho não quer mais ir para a escola. Já conversei com ele e expliquei que a escola não tem culpa”, detalha Eunice.

A Secretaria de Educação, por meio da assessoria de imprensa, informou que todas as crianças receberam alta. No entanto, a reportagem da TV Gazeta Sul esteve no Hospital e constatou que sete crianças ainda estão internadas. 

 

PREFEITO PEDE APURAÇÃO DOS FATOS

Em nota, divulgada no Facebook, a Prefeitura de Anchieta informou que o prefeito Fabrício Petri determinou que equipes das secretarias de educação e de saúde fossem até o local para apurar os fatos e dar todo o suporte necessário às crianças e suas famílias.

Ainda de acordo com a nota, Petri determinou que fosse feita uma minuciosa análise na alimentação escolar servida nesta sexta-feira (16) e que fosse colhida amostra da água para teste de qualidade. Leia a nota da prefeitura:

“Uma equipe da Secretaria de Educação esteve na escola acompanhada de nutricionista, conselho de merenda escolar e vigilância sanitária. Foi constatado que a alimentação servida foi arroz, feijão e carne moída e que não apresentava nenhum tipo de irregularidade, estando os alimentos devidamente dentro do prazo de validade. Cerca de 120 crianças merendaram na escola, porém apenas 27 apresentaram os sintomas. Desse total, 14 foram atendidas no pronto atendimento e 13 no Hospital do Mepes. Nenhuma criança precisou ser transferida. Algumas já foram liberadas, outras permanecem em observação. Exames estão sendo feitos para um diagnóstico mais preciso. A prefeitura continua dando todo o suporte necessário às crianças atendidas e suas respectivas famílias”.

anchieta

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.