ASSINE

Suzano vende 2,9 milhões de toneladas de celulose e papéis no 1° trimestre

Preço da celulose iniciou trajetória de recuperação no mercado internacional, o que impulsionou os resultados. Indústria anunciou construção de fábrica no MS que vai demandar investimento de R$ 14,7 bilhões

Publicado em 19/05/2021 às 17h01
Embarque de celulose em Portocel, terminal especializado operado pela Suzano em Aracruz, ES
Embarque de celulose em Portocel, terminal especializado operado pela Suzano em Aracruz, ES. Crédito: Portocel/Divulgação

Suzano divulgou nesta quarta-feira (19) que comercializou 2,9 milhões de toneladas de celulose e diferentes tipos de papéis no primeiro trimestre de 2021. Os dados constam no balanço trimestral da companhia, que é a maior fabricante de celulose de eucalipto do mundo e uma das maiores fabricantes de papéis da América Latina. 

A empresa, que tem 11 fábricas no Brasil, incluindo as de Aracruz Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo, vendeu 2,6 milhões de toneladas de celulose no trimestre. 

A celulose é a matéria-prima utilizada na fabricação de produtos como papéis sanitários, embalagens, fraldas, máscaras e papéis de imprimir e escrever em geral, entre outros itens essenciais para o dia a dia das pessoas. No segmento de papéis, as vendas atingiram 291 mil toneladas.

A receita líquida da Suzano com a comercialização de celulose e papéis totalizou R$ 8,9 bilhões entre janeiro e março, impulsionada pelo forte volume de vendas, pela recuperação dos preços da celulose no mercado internacional e pelo câmbio favorável à exportação. 

Este vídeo pode te interessar

Outro destaque positivo foi registrado na linha de custos. "O custo caixa de celulose, indicador que dimensiona a competitividade produtiva da companhia, ficou em R$ 623 por por tonelada (excluindo paradas), alta de 4% em relação ao mesmo período do ano anterior. A geração de caixa operacional, por sua vez, cresceu 66% em igual comparação e atingiu R$ 3,9 bilhões no trimestre", informou a empresa.

NOVA EXPANSÃO

De acordo com a Suzano, a forte capacidade de geração de caixa operacional contribuiu para a decisão da companhia de implementar um novo ciclo de expansão. A Suzano anuncia nesta semana o projeto de construção de uma fábrica de celulose no município de Ribas do Rio Pardo (MS), com capacidade instalada de 2,3 milhões de toneladas anuais.

A unidade demandará investimento industrial de R$ 14,7 bilhões. Sua instalação ainda está sujeita ao cumprimento de condições precedentes. Com o anúncio do projeto, a Suzano revisa de R$ 4,9 bilhões para R$ 6,2 bilhões a previsão de investimentos de 2021.

“Os resultados do primeiro trimestre de 2021 reforçam mais uma vez a competitividade da Suzano e nosso potencial de geração de caixa, apoiado neste momento por um movimento de recuperação dos preços internacionais da celulose. O avanço positivo na desalavancagem e a continuidade desta tendência representam o motor propulsor para o anúncio da fábrica de Ribas do Rio Pardo, um dos maiores investimentos privados do Brasil na atualidade”, afirma o presidente da Suzano, Walter Schalka.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.