Com fim de fábricas no Brasil, clientes Ford desistem de compras no ES

Em entrevista à Rádio CBN Vitória, presidente de rede de concessionárias considerou a decisão da Ford radical e declarou que ficou sabendo pela imprensa do encerramento da produção no país

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 14/01/2021 às 20h37
Atualizado em 14/01/2021 às 20h37
A Ford anunciou o fim da produção de veículos no Brasil, o fechamento de fábricas e a demissão de cerca de 5 mil funcionários no Brasil e na Argentina
A Ford anunciou o fim da produção de veículos no Brasil, o fechamento de fábricas e a demissão de cerca de 5 mil funcionários no Brasil e na Argentina. Crédito: Dirceu Portugal /Fotoarena/Folhapress

Quatro dias após o anúncio de que a Ford vai encerrar a produção de veículos no Brasil, consumidores buscaram os revendedores da marca para tirar dúvidas. Alguns já desistiram de comprar os modelos que sairão de linha e cancelaram negociações. O fechamento das fábricas de Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE) vai afetar a produção dos modelos Ka, Ecosport e Troller T4.

O presidente da rede de concessionárias Contauto, revendedora Ford no Espírito Santo, Apolo Rizk, disse que as unidades têm atendido clientes preocupados.

“O consumidor é a imagem mais fantástica do mundo e é forte a movimentação que é feita numa hora dessa. Nós estamos tendo todos os comportamentos com reação a isso: pessoas tristes, pessoas que tinham dado sinal de compra e pediram de volta e foi devolvido; e pessoas que fizeram novas compras mesmo sabendo das informações, querem conversar um pouco mais, mas se sentem seguros para fechar negócio”, relatou Rizk em entrevista à CBN Vitória, nesta quinta-feira (14).

O presidente declarou ainda que foi avisado do fim do fechamento das fábricas pela imprensa, junto com o restante da população. Ele analisou o encerramento da produção de veículos como “radical”.

“Nós fomos muito impactados. O que vem sendo colocado, em alguns países que a Ford já tinha tomado essa atitude, é de que ela sairia do seguimento dos produtos que chamamos de entrada, como os modelos Ka e Ecosport. No Brasil, se esperava que alguma coisa fosse feita, mas não tão a curto prazo e tão radical quanto o fechamento das fábricas. A rede no Brasil foi muito impactada”, relatou o presidente.

De acordo com o comunicado da Ford, feito na última segunda-feira (11), o fim da produção de carros no Brasil acontece dentro de um processo de reestruturação global da marca e que o fechamento das fábricas acontece após anos de redução das vendas no País.

Em 2019, a Ford encerrou as atividades na fábrica de São Bernardo do Campo (SP) e deixou de vender o modelo Fiesta. Assim que os estoques de Ka, Ecosport e T4 acabarem, a comercialização deles também será suspensa. Dessa forma, o modelo mais em conta da marca passará a ser a Ford Ranger. De produção argentina, a picape custa a partir de R$ 154 mil no Brasil.

“A Ford, através da sua rede, continua atuando no Brasil. O que nós não teremos mais são as fábricas. Nós vamos continuar com a importação de modelos de SUVs e picapes de outros mercados. Nosso seguimento é globalizado. A Ford passa a operar exclusivamente com produtos importados e que estariam no portfólio das concessionárias até o final do ano”, explicou Rizk.

Aos que não desistiram da venda e continuam comprando os veículos que sairão de linha, Rizk tranquiliza e afirma que a concessionárias da montadora continuarão prestando o serviço de assistência, revisão e troca de peças.

“Com relação ao cliente, ao usuário, a quem quiser ainda comprar algum produto Ford que esteja no estoque da rede, o consumidor pode ficar absolutamente tranquilo porque a responsabilidade é total da montadora através da sua rede pela execução da garantia preconizada, dos nossos mecânicos treinados, das peças originais. Tudo dentro daquilo que se tem como prioridade absoluta ao cliente” afirmou.

No mesmo comunicado em que anunciou o fechamento das fábricas, a Ford também se comprometeu com a assistência e afirmou que manterá a produção de peças dos veículos que sairão de linha. “A Ford mantém assistência total ao consumidor com operações de vendas, serviços, peças de reposição e garantia para seus clientes no Brasil e na América do Sul”.

automoveis veículos Ford Comércio

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.