ASSINE

Secretário de Saúde atualiza situação do coronavírus no ES

Nésio Fernandes convocou uma coletiva de imprensa para falar sobre o assunto

Publicado em 03/07/2020 às 09h32
Atualizado em 03/07/2020 às 10h17

O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, convocou uma coletiva de imprensa, na manhã desta sexta-feira (03), para falar sobre o combate ao coronavírus no Espírito Santo. Até a manhã desta sexta, o Estado contabiliza mais de 50 mil casos confirmados e 1727 mortes por Covid-19. A coletiva ocorre por transmissão on-line e A Gazeta acompanha as informações em tempo real. Siga abaixo:


10:16

Como evitar uma segunda onda da doença

"Para que não ocorra uma segunda onda de doença, que as pessoas protegidas com isolamento social não saiam dessa proteção, mantendo o distanciamento social. O retorno das atividades precisa ser gradual", orientou o secretário.


10:14

Riscos à estabilização

"Existem riscos que podem comprometer a estabilização na Grande Vitória, que é a chegada do inverno, a prevalência de dias mais frios e chuvosos e a redução do isolamento social", alertou Nésio.


10:12

Hidroxicloroquina

"A posição do governo do Estado é de orientada pelas melhores práticas, baseadas em evidências científicas, nas opiniões dos principais especialistas do mundo. Não há evidências que recomendem o uso da hidroxicloroquina na fase inicial da doença, principalmente em atividade ambulatorial. O Estado não se opôs nem proibiu o uso na prática do serviço de saúde. Desde o começo, orientamos com base nas evidências, mas a orientação não é proibitiva"


10:03

Medidas mais restritivas?

"Temos uma matriz de risco que define critérios para adotar e reconhecer o risco extremo. Realizamos uma expansão robusta no número de leitos e conseguimos administrar a pandemia com a manutenção do isolamento social em torno de 44%", explicou.


10:02

Estabilização

O secretário responde se o Espírito Santo chegou ao chamado platô da doença. "Observamos, de fato, a estabilização na Grande Vitória, com destaque para a cidade de Vitória. Nós qualificamos a capacidade de testagem, que se reflete na quantidade casos positivos que surgem todos os dias", comenta, destacando porém o crescimento no interior.


09:52

Ainda sem redução sustentável dos óbitos

"Temos tido uma manutenção do número de óbitos por dia no último período. Ainda não temos uma redução sustentável dos óbitos e pacientes graves e temos apresentado um crescimento do número de casos novos por causa do crescimento no interior e por mais testes sorológicos realizados no ES. Os testes sorológicos são capazes de identificar o contato anterior com a doença. Então, muitos pacientes testados agora são pacientes que tiveram contato anterior", pontua Nésio.


09:48

Fase de recuperação em Julho

"Nós tivemos aqui um fenômeno em Vitória. Entre os quatro municípios da Grande Vitória, aponta uma evidência mais clara de estabilização da doença e podemos viver, ao longo do mês de julho, um início de uma fase de recuperação heterogênea, que pode ocorrer em alguns municípios do Estado. No entanto, o resultado final ainda vai ser de aumento do número de casos no Espírito Santo", analisa Nésio.


09:45

Situação preocupante no interior

"Temos uma situação muito preocupante ainda nos municípios de Linhares, Colatina, Cachoeiro. Os principais municípios das regiões Sul, Centro e Norte. Consolida-se a nossa avaliação de que há um crescimento do número de casos no interior, o que ainda exige cautela nas decisões do governo e dos prefeitos sobre a flexibilização ou não nas medidas de distanciamento", destaca o secretário.


09:42

Estabilização na Grande Vitória

"Vem se confirmando essa tendência de estabilização na Grande Vitória, onde a rede na atenção hospitalar conseguiu se organizar de modo que o aumento da pressão dos pacientes no interior não foi tão percebida. Aperfeiçoamos o mecanismo da maneira de que os hospitais do interior, quando chegam com uma taxa próxima a 80%, o sistema de regulação prepara a remoção desses pacientes, principalmente para a Grande Vitória", afirma Nésio.


09:38

Ocupação de leitos

Com atraso, o secretário iniciou a coletiva e fala sobre a ocupação de leitos para coronavírus: "Tivemos mes de junho que mantivemos a taxa de ocupação de leitos acima de 80%. Terminamos o mês com uma relativa estabilização da ocupação. Em virtude da ampliação de leitos, não colapsamos o sistema. Em um mês, foram mais de 200 leitos"

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.