ASSINE

Secretário da Saúde atualiza informações sobre o combate à Covid no ES

O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, atualizou as informações sobre o enfreamento ao coronavírus no Espírito Santo em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (11)

Publicado em 11/01/2021 às 14h35
Atualizado em 11/01/2021 às 15h54

15:14

Fim da entrevista coletiva

Nésio Fernandes: "Agradeço a presença de todos, boa semana, usem máscaras, respeitem o tamanho da pandemia e vamos vencer. Forte abraço a todos, até sexta-feira. Possivelmente teremos um comunicado extraordinário ao longo dessa semana além da coletiva. Muito obrigado".


15:11

Subsecretário reforça sobre uso de máscaras e higienização mesmo após a vacina

Luiz Carlos Reblin: "Não vamos diminuir o cuidado com a transmissão do vírus em superfície. Novos estudos voltam a discutir a permanência do vírus em superfícies: vidros, talheres, portas, maçanetas. Não é a via de transmissão preferencial, mas o alerta é para a superfície. Imagina através das máscaras? Elas são essenciais. Higienizar as mãos, manter a distância é fundamental. A via preferencial de transmissão é na fala. Essa é a solução. A imunidade coletiva ou de rebanho não será alcançada no mesmo instante da vacinação. É um ano provavelmente pela vacina. Não é tomar a vacina, que está perto, e o problema está resolvido. A necessidade da máscara, mãos limpas e distância continua fundamental para evitar mortes".


15:09

Aumento de casos e óbitos pode ocorrer na segunda quinzena de janeiro no ES

Nésio Fernandes: "Quero esclarecer que foram previstas pelo governo federal 2 milhões de doses para todo o Brasil, e não para o ES. Isso, nos cálculos mais otimistas nossos, poderia chegar no máximo a 35 mil pessoas vacinadas e que poderiam receber a vacina ainda este mês. Sobre comportamento dos casos previstos, lá em setembro o aumento de casos não foi mecanicamente estabelecido em exatos 14 dias após as primeiras aglomerações. Temos expectativa de que na segunda quinzena de janeiro exista um aumento de casos e óbitos, e estamos nos preparando para isto".


15:05

Secretário diz que é possível que novas variações do vírus já estejam no ES

Nésio Fernandes: "O ES não é uma ilha, temos circulação liberada em todo o país de pessoas por via aérea, terrestre, rotas rodoviárias são liberadas. Eu acredito que é possível sim que novas variações do vírus estejam presentes em solo capixaba e que sejam responsáveis por comportamento da segunda expansão da doença nos territórios que tiveram primeira onda muito bem definida. Isso deve se confirmar ao longo do ano de 2021: a circulação dessas novas cepas em todo o território nacional".


15:03

Nova cepa do vírus ainda não foi identificada no ES

Luiz Carlos Reblin: "No ES propriamente ainda não identificamos a nova cepa. O que nós compomos é uma rede que coleta material sistematicamente de doenças respiratórias, no mesmo formato: no nariz, na garganta... Há anos essa coleta serve para construção da vacina da gripe, que tomamos todos os anos. Agora ela também ajuda a construir e identificar qual o vírus predominante que circula em determinada população. Tínhamos dois pontos de coleta, no início da pandemia ampliamos para 12 pontos. Esse material é encaminhado para a Fiocruz, que ainda não nos informou que a nova cepa foi identificada no ES".


14:59

Sesa avalia retorno às aulas após nova cepa do vírus

Nésio Fernandes: "Estamos avaliando o tema do retorno às aulas e tudo está sendo considerado. O ES em nenhum momento desprezou a força de transmissão da doença, a proporção da pandemia, orientamos todas as decisões pela ciência. Em momento oportuno, será atualizada a decisão no nosso Estado. Reconhecemos que as escolas são essenciais, e sempre que possível, devem ser preservadas. Não colocaremos nossa população sob risco de transmissão. Estamos tratando de conhecer mais sobre a nova cepa do vírus".


14:56

"Plano de segurança para distribuição de vacinas no ES está traçado", diz Nésio

Nésio Fernandes: "Já combinamos a escolta das vacinas para as regionais. Iremos garantir a segurança das vacinas na distribuição do ES. Recomendamos aos municípios para que garantam segurança também dessas vacinas na rede de cada município. O plano de segurança está traçado".


14:54

Subsecretário explica sobre imunidade coletiva e como vai funcionar no ES

Luiz Carlos Reblin: "Em tempos de vacinação, o ES possui 497 salas de vacinas fixas. Via de regra, nas campanhas esse número aumenta porque municípios adotam estratégias, então ultrapassamos as 500 salas. Estimando que poderíamos vacinar 100 pessoas em cada sala, poderíamos vacinar 1 milhão sem alterar horário, dias, em um mês. Em 20 dias, vacinaríamos 1 milhão de pessoas. A necessidade de vacinar 60% decorre do resultado final da eficácia das vacinas. Dependendo da fase final sobre isso, é que vão se definir qual a cobertura mínima necessária para vacina proteger a coletividade. Lembrando que essa é uma vacina que não foi testada nos jovens com menos de 16 anos. Então precisamos de mais tempo para compreender sobre essa imunidade coletiva. O Ministério está finalizando, esperamos que no dia de hoje possamos conhecer os números finais de vacinas nesse primeiro momento e quando a vacina estará entre nós, para aí sim iniciarmos a vacinação. Estamos prontos, mas vai depender da quantidade disponível".


14:46

"Precisamos estar atentos que as variações do vírus podem trazer novidades", diz Nésio

Nésio Fernandes: "Precisamos estar atentos que as variações do vírus podem trazer novidades no comportamento e maiores riscos no desenvolvimento da doença no nosso país. Vivemos neste momento algo que não é simplesmente um aumento do tempo de permanência dos pacientes nas UTIs. Temos, no Brasil, aumento de número de casos, maior tempo de internação e maior número de óbitos. É um comportamento mais agressivo da expansão da pandemia. Por isso, reconhecemos como segura a estratégia adotada no ES, definir um segundo momento da estratégia de expansão de leitos. Tivemos em 2018 e 2019 um comportamento conhecido das doenças respiratórias agudas graves. No início do ano, tem um momento de crescimento de fevereiro a junho. Precisamos estar atentos para comportamentos dessas doenças e observar um possível incremento com a Covid-19".


14:43

Moradores de Vitória agendaram para fazer teste, mas não compareceram

Nésio Fernandes: "Nós informamos na sexta-feira um dado importante sobre a redução da capacidade de testagem, em dezembro, mas queria fazer uma ponderação a respeito de um dado importante sobre Vitória: a capacidade e oferta de testes pelo município foi preservada ao longo de dezembro, e durante o período festivo, mesmo com capacidade de oferta preservada, teve em torno de 40% de pacientes suspeitos com agendamento, mas não comparecimento ao local. É importante ressaltar que, com qualquer sintoma, é preciso dar atenção a isso. Não menospreze qualquer sintoma. Mesmo com sintomas leves, a pessoa pode transmitir a doença para aquelas que possam evoluir para algum estado crítico. Além de ofertar o exame e garantir que todos façam o teste, que a população perceba a importância de comparecer ao momento da testagem"

A Gazeta integra o

Saiba mais
Espírito Santo SESA Coronavírus Coronavírus no ES Covid-19 espírito santo nesio fernandes Pandemia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.