ASSINE

O dia em que ligação para call center virou amor e casamento no ES

Em 2012, após solicitar troca de plano à operadora, o capixaba Lucas recebeu uma ligação da atendente paulista Maria. Três anos depois, eles se casaram

Vitória
Publicado em 01/09/2021 às 14h36
Lucas e Maria se conheceram através de uma ligação e se casaram três anos depois
Lucas e Maria se conheceram por meio de uma ligação e se casaram três anos depois. Crédito: Montagem | A Gazeta

Imagina você ligar para uma operadora de celular para resolver um problema e encontrar o amor da sua vida? Essa história, que tem (como sempre) um capixaba envolvido, ganhou repercussão no Twitter após um amigo do casal tornar o caso público. Internautas começaram contando os "causos" de amor que tiveram início de um jeito incomum, assim como a história do capixaba Lucas e da paulista Maria, que hoje moram no bairro Jardim Camburi, em Vitória.

Lucas Barros Veras de Sousa e Maria Augusta da Costa Barros têm 28 anos. Eles se conheceram em 2012, por meio de uma ligação, e se casaram três anos depois. Tudo começou no dia em que o capixaba, que hoje trabalha em uma concessionária de energia elétrica no Espírito Santo, precisou fazer uma troca de plano em uma operadora telefônica. Quem atendeu foi a paulista, que na época trabalhava em São Vicente, em São Paulo, mas os dois ainda não se conheciam e nem imaginavam o que estava para acontecer.

À reportagem de A Gazeta, Lucas relatou que entrou em contato para fazer a alteração do plano e o contato, inicialmente, foi bem profissional.

"Ela alterou o plano para mim e beleza, desligamos. Depois de um tempo, no mesmo dia, ela me mandou uma mensagem perguntando se estava tudo bem comigo. Era um prefixo de São Paulo, ela morava lá. E eu falei: 'Quem está falando, de onde?'. Ela ficou um pouco receosa de responder no início por medo de retaliação, já que havia pegado meu número no cadastro", detalhou.

Lucas e Maria se conheceram em uma ligação no ano de 2012 e se casaram três anos depois
Lucas e Maria se conheceram em uma ligação no ano de 2012 e se casaram três anos depois. Crédito: Acervo pessoal

Maria, que apesar da iniciativa, afirma ser um pouco tímida, disse que na época trabalhava em Santos e o dia 24 de janeiro de 2012 foi como qualquer outro, atendendo clientes.

"O Lucas foi muito educado comigo. Eu anotei o número dele com DDD na minha agenda. Enviei uma mensagem e ele me respondeu meia-noite. Fiquei com receio de contar que eu era a atendente, mas ele já sabia: falou meu nome e começamos a conversar. Eu tinha perdido meu pai recentemente e queria alguém para desabafar mesmo", explicou. Meses depois, em julho, os dois decidiram se encontrar pessoalmente.

Na época, sem WhatsApp ou qualquer outro meio de contato instantâneo sem ser a ligação, os dois passavam horas se falando por telefone. Os amigos do casal ficaram receosos e preocupados.

"No dia 10 de julho de 2012 nos vimos pessoalmente e foi muito bom. Eu ia para São Paulo duas vezes por ano ou quando dava, e ela vinha para cá. No nosso aniversário de namoro de três anos, nos casamos. Inicialmente, não teve um pedido claro da minha parte, mas já começamos a namorar visando o casamento", continuou Lucas.

Lucas e Maria se conheceram em uma ligação no ano de 2012 e se casaram três anos depois
Lucas e Maria se conheceram em uma ligação no ano de 2012 e se casaram três anos depois. Crédito: Acervo pessoal

Lucas e Maria se casaram em 2015, cerca de três anos após a ligação. Em uma das conexões "Espírito Santo - São Paulo", o capixaba organizou a vida e decidiu juntar as escovas de dente com a paulista. "Os amigos ficaram um pouco desacreditados e preocupados no início do relacionamento. Mas não tiro a razão deles, porque é uma situação bem atípica. Ouvíamos muitas coisas, o pessoal falava com ela: 'Como você sabe que ele não é um criminoso?'", brincou.

Apesar de os dois já terem a certeza de serem o "felizes para sempre" na vida um do outro, o primeiro encontro presencial foi cheio de receios.

"Na primeira vez que fui para lá fiquei receoso, pensando: 'E se ela não gostar de mim? E se a família não gostar de mim?'. Porque fui para dormir na casa da família dela e me receberam super bem, foi muito bacana, mas poderia ter dado errado. Eu era uma pessoa estranha para eles, e eles para mim", contou Lucas.

O que fica da história do casal é a lição de que o amor pode estar na mensagem com o DDD 11 que não respondemos. Entre amigos, a história de Lucas e Maria é inspiração."Até hoje o pessoal lembra da história rindo. De forma geral, no início não foi muito bem acolhida no sentido de simplesmente ver o lado do amor, era mais mesmo por medo, o que eu não tiro a razão", concluiu o capixaba.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.