ASSINE

Médico desabafa sobre falta de vagas de UTI em hospital de Linhares

Segundo infectologista do Hospital Geral da cidade, leitos de tratamento intensivo para Covid-19 se esgotaram na unidade: "Não existe mais como internar alguém com insuficiência respiratória", disse

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 13/03/2021 às 21h38
Atualizado em 14/03/2021 às 07h25
Infectologista do HGL diz que não há mais vagas na UTI Covid do município. Crédito: Reprodução/Redes sociais
Infectologista do HGL diz que não há mais vagas na UTI Covid do município. Crédito: Reprodução/Redes sociais

Em meio ao agravamento da pandemia no Brasil e no Espírito Santo, o médico infectologista Fernando Aché, que atua no Hospital Geral de Linhares, na Região Norte do Estado, fez um apelo por meio de um vídeo, que viralizou nas redes sociais, para que a população evite aglomerações e tome os cuidados necessários para não “levar o vírus para dentro de casa”. Segundo o profissional, que atua na linha de frente do enfrentamento à Covid-19, não há mais vagas de UTI Covid na unidade.

“Queria dar um recado para todo mundo que está aí no bar tomando cerveja: estou aqui na unidade, e não tem mais vagas. No município de Linhares, não temos mais vagas de UTI (Covid). Se sua avó, sua mãe, seu irmão precisar de vaga e precisar ser intubado, vai ficar no pronto-socorro”, afirmou.

O médico reforça que as aglomerações observadas rotineiramente refletem a indiferença da população ao trabalho dos profissionais de saúde, que há um ano lidam de perto com a doença que já levou à morte de mais de 277 mil brasileiros6,7 mil deles apenas no Espírito Santo.

“Faz um ano que estou trabalhando incessantemente para tentar fazer alguma coisa por essas pessoas que estão aqui. Então você, jovem, que está levando a Covid para dentro de casa, para a sua mãe, para o seu pai, tenha um pouco de amor ao próximo. Não existe mais como internar alguém com insuficiência respiratória nesse município.”

E continua: “Quem precisar de vaga não precisa nem vir mais ao HGL. Já pode se dirigir a outra cidade, outro município, outro Estado, se achar vaga em outro Estado. Não tem mais condição de a gente atender as pessoas aqui.”

A reportagem tentou contato com o médico por meio das redes sociais, mas não houve retorno até a publicação desta matéria. A Prefeitura de Linhares informou à TV Gazeta que, dos 20 leitos disponíveis, 14 estão ocupados e seis estão livres, e que a gestão municipal vai buscar junto ao governador a ampliação de leitos na unidade.

O QUE DIZ A SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

A Secretaria da Saúde reconhece que os hospitais da rede trabalham há dias com mais de 80% da ocupação, e que cinco, das 31 unidades hospitalares, operam com 100% da capacidade. No entanto, a Sesa esclarece que não existe, neste momento, colapso, e nem pacientes aguardando leitos para UTI-COVID por mais de 24 horas.

Vale ressaltar que os pacientes graves são atendidos diretamente pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192), e encaminhados para hospitais sem a necessidade de regulação nos municípios atendidos pelo serviço.

A Sesa segue trabalhando intensamente no enfrentamento da pandemia e monitorando a curva da doença no estado, assim como a ocupação de leitos, para garantir que não haja comprometimento no atendimento dos pacientes Covid e não Covid. Por meio da estratégia de expansão de leitos a expectativa é que até o final do mês de abril a rede SUS capixaba esteja ofertando 900 leitos de UTI Covid. Atualmente, o estado conta com 724 leitos de UTI exclusivos para pacientes Covid.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.