ASSINE

Mais de 87 mil capixabas ainda esperam pela segunda dose da Coronavac

Cálculo é até esta sexta-feira (07) e pode aumentar na próxima semana, considerando que o Ministério da Saúde ainda não enviou novo lote do imunizante do Instituto Butantan que era esperado

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 06/05/2021 às 12h40
Quem tiver com o prazo da segunda dose vencendo, precisa aguardar até que uma nova remessa da vacina chegue ao município
Cachoeiro paralisou a aplicação da segunda dose da Coronavac. Crédito: Matheus Martins/TV Gazeta Sul

No Espírito Santo, mais de 87 mil pessoas ainda aguardam a aplicação da segunda dose da Coronavac. O atraso decorre da falta de doses ocasionadas pelo não envio pelo Ministério da Saúde do imunizante produzido pelo Instituto Butantan, e que era esperado para esta semana, segundo o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes.

“Vamos receber nesta sexta-feira (07) mais 83.700 doses da Astrazeneca. Mas ainda não foi confirmado o envio do lote da Coronavac que era aguardado para esta semana. Estamos esperando um retorno do Ministério da Saúde e do Instituto Butantan”, explicou.

Em entrevista na manhã desta sexta-feira (06) para a CBN Vitória, o secretário informou que 52 mil pessoas estariam afetadas pela falta da Coronavac. A informação foi atualizada pela assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), apontando que aguardam a imunização com a segunda dose da vacina do Butantan um total de 87.749 pessoas. O levantamento foi feito com base na recomendação de que a segunda dose seja aplicada 28 dias após a primeira.

O número de doses em atraso consta em Resolução da Sesa 049/2021, e que também foi encaminhada para o Ministério da Saúde, apontando a necessidade do Estado para concluir a imunização da população.

Segundo as informações disponíveis no painel de vacinação da Sesa até a última quarta-feira (05), 30 municípios capixabas continuam sem conseguir aplicar a segunda dose da Coronavac, imunizante produzido pelo Instituto Butantan. 

DOSES VÃO SER DESTINADAS A SANAR ATRASO

De acordo com Nésio, quando as doses da Coronavac chegarem ao Estado, elas serão utilizadas em pessoas que já estão com a imunização em atraso. “Serão utilizadas integralmente para a aplicação da segunda dose. Só depois é que daremos início a vacinação da D1 com este imunizante”, informou.

São pessoas, em sua maioria, que residem no interior, com mais de 60 anos e ainda trabalhadores da saúde, acrescentou Nésio. Mas este número pode aumentar nas próximas semanas se o atraso no envio dos imunizantes persistir.

Em paralelo, segundo explicou Nésio, as doses da Astrazeneca vão ser utilizadas para a aplicação da D1. “Até sanarmos o atraso da D2 da Coronavac, as doses da Astrazenca serão dedicadas a D1”, disse Nésio.

E assim como os demais Estados, a Sesa pretende fazer o armazenamento de doses da Coronavac para garantir a aplicação da segunda etapa do imunizante. 

“Seguimos a orientação do Ministério da Saúde para a aplicação de todas as doses na D1, mas ocorreram problemas no envio dos lotes. O Espírito Santo está se preparando para guardar as doses de D2 sempre que for enviado um lote, porque as instabilidades políticas podem afetar o fornecimento do insumo para a produção da vacina”, explicou Nésio.

A Gazeta integra o

Saiba mais
SESA Coronavírus Vacinas contra a Covid-19

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.