ASSINE

ES recomenda que cidades suspendam festas de carnaval e grandes shows

O secretário de Saúde, Nésio Fernandes, afirmou que a decisão de realizar os eventos não seria adequada no atual estágio da pandemia

Tempo de leitura: 3min
Vitória
Publicado em 17/01/2022 às 16h37
Atualizado em 17/01/2022 às 19h24
Regional da Nair animou Centro de Vitória neste domingo de Carnaval
Carnaval de rua no Centro de Vitória, em fevereiro de 2020. Crédito: Ricardo Medeiros

O governo do Espírito Santo formalizou oficialmente a recomendação para que os municípios capixabas suspendam as comemorações de carnaval de rua, além de grandes eventos e shows. A sugestão ocorre em um cenário de aumento expressivo na curva de casos da Covid-19, provocado pela  variante Ômicron.

A posição do governo sobre a questão foi divulgada nesta segunda-feira (17) pelo secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, em coletiva de imprensa. Ele pediu que, caso alguma cidade resolva promover grandes festas, apresente "fundamentos epidemiológicos" para sustentar uma decisão que, segundo Nésio, não seria adequada.

Como trata-se de uma recomendação, caberá aos prefeitos avaliarem como ela será aplicada em cada município.

Ofício recomendatório da Sesa aos municípios do ES

Leia a íntegra do documento em que a Sesa dá recomendações aos prefeitos do Estado a respeito da nova onda de Covid-19

Não foi detalhado, porém, se a recomendação é válida apenas para o carnaval de rua ou também para o Carnaval de Vitória, realizado no Sambão do Povo, e que foi confirmado recentemente pela Prefeitura de Vitória.

A Gazeta questionou a Secretaria de Estado da Saúde a esse respeito, mas a pasta apenas encaminhou o ofício com as recomendações, que não mencionam especificamente o desfile das escolas de samba.

O secretário afirmou ainda que as medidas que atualmente estão sendo tomadas pelo Estado visam reduzir o impacto do coronavírus, diminuir o contágio entre  pessoas e romper a cadeia de transmissão, evitando que o sistema de saúde entre em uma "situação crítica".

Nésio Fernandes

Secretário de Estado da Saúde

"Formalizamos hoje aos municípios capixabas a recomendação da suspensão do carnaval e dos grandes show e eventos em todo o Estado. Solicitamos aos municípios que decidam não acatar a recomendação que subsidiem essa decisão com fundamentos epidemiológicos, com estudos técnicos capazes de sustentar uma decisão que não seria adequada ao Estado em um momento em que a curva da expansão de casos pode ainda ser mitigada"

A decisão de recomendar a suspensão dos eventos acontece 12 dias após o secretário de Saúde informar que reuniria as lideranças municipais em uma "agenda de avaliação de risco". A ideia era classificar a segurança dos eventos considerando o risco da variante Ômicron. À época, Nésio Fernandes afirmou que a cobertura vacinal era insuficiente para enfrentar a nova variante.

Para ele, o crescimento dos casos de Covid-19 pode ser controlado caso o Espírito Santo avance em dois pontos: garantia de testagem em massa e cobertura vacinal. As duas ferramentas foram citadas pelo secretário várias vezes durante sua fala, ressaltando que o Estado tem capacidade para garantir mais testes aos capixabas e pedindo que as pessoas concluam o ciclo vacinal, sem atrasos em segundas ou terceiras doses.

PASSAPORTE DA VACINA EM EVENTOS MENORES

Além de recomendar a suspensão de grandes eventos, Nésio sugeriu que os eventos menores, em casas de show e boates, por exemplo, fiscalizem a circulação de pessoas a adotem "extrema disciplina". O secretário sugeriu a exigência do passaporte de vacinação e de testes negativos.

O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes
O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes. Crédito: Reprodução | Sesa

Nésio Fernandes

Secretário de Estado da Saúde

"Para a realização de eventos menores recomendamos que os municípios preparem condições para a exigência do passaporte da vacina de maneira muito disciplinada. E que peçam a testagem de antígeno. Os municípios que não possuem condições de adotar a testagem, recomendamos extrema disciplina e cumprimento das atividades de fiscalização das normas"

OCUPAÇÃO DE LEITOS AUMENTA, MAS ESTADO GARANTE ATENDIMENTO

O secretário afirmou que o Espírito Santo vive um momento de aceleração da curva de casos e a quantidade de registros deve ser maior do que o observado em ondas anteriores na pandemia de coronavírus. Apesar do aumento de pessoas infectadas, a nova fase da doença no Estado não deve elevar o número de mortes a um patamar similar ao de 2020 e 2021. O "ponto máximo" da expansão de casos deve ocorrer em três semanas, se acordo com Nésio Fernandes.

A ocupação de leitos alcançou estabilidade nos últimos quatro dias, informou o secretário. Apesar do crescimento na ocupação, o Estado tem possibilidade de ampliar a oferta de leitos de enfermarias e Unidades de Terapia Intensiva.

74,32% dos leitos estão ocupados atualmente no ES
74,32% dos leitos estão ocupados atualmente no ES. Crédito: Reprodução Painel Covid-19

"Em três semanas, podemos viver o ponto máximo da expansão da curva de casos. Esperamos viver a partir de fevereiro uma recuperação. A repercussão de óbitos não deve alcançar o que já vimos antes, quando não tínhamos uma cobertura vacinal suficiente. A característica da nova onda deve impactar o sistema ambulatorial, com aumento na procura por testes e atestados de trabalho", afirma.

O secretário reforçou o pedido para que a população capixaba se vacina e complete o ciclo vacinal, sem que haja atraso na segunda ou terceira doses. Lembrou que o público infantil começou a ser imunizado nos últimos dias, o que deve garantir ainda mais proteção.

Algumas cirurgias eletivas podem ser suspensas caso haja necessidade de atendimento a pacientes com Influenza ou Covid-19. Mas o secretário afirmou que o Estado não avalia a possibilidade de suspender todos os procedimentos.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.