ASSINE

De Iúna, aluno da rede pública ganha ouro na Olimpíada de Ciências

Estudante da rede pública estadual, Guilherme Pagani Ferreira da Silva, de 14 anos, é autista e desenvolve habilidades e dificuldades na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais

Cachoeiro de Itapemirim / Rede Gazeta
Publicado em 27/04/2021 às 16h04
Aluno ao lado da mãe, da diretora da Apae, Maria dos Anjos de Souza, e do professor Wagner Ornelas Dias . Crédito: Apae de Iúna
Aluno ao lado da mãe, da diretora da Apae, Maria dos Anjos de Souza, e do professor Wagner Ornelas Dias . Crédito: Apae de Iúna

A manicure Steffania de Freitas Ferreira está orgulhosa do filho Guilherme Pagani Ferreira, de 14 anos. O adolescente de Iúna, município capixabana Região do Caparaó, é aluno da rede pública estadual e conquistou uma medalha de Ouro na Olimpíada Nacional de Ciências, na edição de 2020. Autista, o estudante também é aluno da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae).

“Foi uma surpresa. Guilherme não é muito ficar estudando em casa, ele consegue absorver o conteúdo quando é explicado com muita facilidade. Até esperava que conseguisse uma boa média, mas nunca imaginei que conseguiria a medalha de ouro, foi o único na escola. Quando contei, ele pensou que eu estivesse brincando, também não acreditou”, revela Steffania de Freitas.

O resultado foi divulgado no final de fevereiro. A mãe conta que é a primeira vez que o filho recebe um reconhecimento nacional, mas o adolescente já se destacou em competições na Apae. “Ele é bom em Ciências e Exatas. A escola fez a inscrição e a prova foi toda on-line, em duas fases. A primeira fez em agosto do ano passado e a segunda, em novembro, com uma prova dissertativa”, conta Steffania.

Guilherme é aluno do 9º ano e, duas vezes por semana, no contra turno escolar, faz aulas na Apae de Iúna para desenvolver habilidades e dificuldades do aluno. “Ele é nosso aluno há quatro anos, quando chegou era muito tímido, não socializava com ninguém. Estamos muito orgulhosos, pois Guilherme é muito inteligente e amoroso”, disse a diretora da Apae de Iúna, Maria dos Anjos de Souza.

Filho único, Guilherme mora com a mãe a os avôs na sede do município. “Muitas pessoas ainda têm preconceito com a Apae, no filho ser aluno de lá. Todos tem capacidade e são capazes de conquistas dentro de seus limites, ser bom naquilo que faz”, afirma Steffania de Freitas.

Competição

A Olimpíada Nacional de Ciências (ONC) integra o Programa Ciência na Escola e é uma realização de cinco Sociedades Científicas: a Sociedade Brasileira de Física (SBF), a Associação Brasileira de Química (ABQ), o Instituto Butantan a Sociedade Astronômica Brasileira, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Universidade Federal do Piauí.

A competição é resultado de um convite do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) às Sociedades e se destina a estudantes do Ensino Médio e do 8ª e 9º ano do Ensino Fundamental. Todos os alunos premiados na ONC 2020 receberão medalhas, que serão enviadas ao endereço da escola.

Educação Iúna Tecnologia Apae

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.