ASSINE

Afinal, é TOC ou mania? Psicóloga explica a diferença

De acordo com a psicóloga e comentarista da Rádio CBN Vitória, Adriana Müller, comportamentos repetitivos são normais, mas podem esconder desvio psicológico

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 06/04/2021 às 16h27
Atualizado em 06/04/2021 às 16h27
Homem faz limpeza da parede antes da pintura
Deixe a parede pronta para receber a tinta. Crédito: Divulgação/iStock

Mania e Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) vêm sendo cada vez mais identificados e diagnosticados em pacientes nos consultórios. Afinal, você sabe a diferença entre esses termos? A psicóloga e comentarista da Rádio CBN Vitória, Adriana Müller, explica que hábitos são comportamentos repetitivos adquiridos com o tempo, mas quando esses costumes são motivados por pensamentos obsessivos e compulsivos, pode ser um alerta.

Segundo Adriana Müller, o TOC é causado por pensamentos, ideias, impulsos ou imagens que invadem a consciência contra a vontade da pessoa, de forma repetitiva. "Esses pensamentos normalmente são acompanhados de uma grande ansiedade e desconforto. O indivíduo tem que fazer a atividade para ficar tranquilo", destaca.

Os tipos mais comuns de comportamentos obsessivos-compulsivos, de acordo com a psicóloga, envolvem a limpeza, repetições de comportamento ao sair e/ou entrar, verificação ou controle de fechaduras e chaves ao sair de casa e sequências – como a organização por cores ou padronagens. 

A psicóloga ressalta que, se a pessoa imagina que tem TOC, o mais importante é observar o tempo gasto com a atividade e se ela gera transtorno à vida cotidiana. 

Adriana Müller

Psicóloga e comentarista da Rádio CBN Vitória

"É considerado transtorno quando a pessoa passa pelo menos uma hora do dia entre os pensamentos e rituais, causando prejuízo, sofrimento e angústia"

Já a mania é uma prática repetitiva, um hábito ou gosto recorrente que pode ser incomum, excêntrico e extravagante, mas que não prejudica a vida da pessoa nem mesmo gera angústia, sofrimento ou toma muito tempo do indivíduo.  "Qualquer um pode ter uma mania, mas isso não vai necessariamente gerar efeitos negativos no dia a dia", destaca.

Adriana Müller finaliza alertando que, assim que notar que está com a vida afetada por comportamentos e manias, a pessoa deve procurar um psicólogo para avaliar se realmente se é um transtorno e em qual grau se enquadraria. "O TOC tem tratamento e é feito com uma combinação de terapia e medicamentos antidepressivos. Melhorar a qualidade de vida com técnicas de relaxamento e meditação, como o ioga, também ajuda a manter qualidade de vida do paciente", conclui a psicóloga.

Saúde cbn cotidiano doenca Comportamento Saúde mental

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.