ASSINE

Abrigo do ES pede doações para cão com pata amputada ganhar andador

Cãozinho Geraldo precisou amputar pata dianteira após ser diagnosticado com tumor e está com dificuldades de locomoção. Ele é cuidado pelo grupo "Patinhas Carentes"

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 29/09/2021 às 18h37
O cão Geraldo teve a pata dianteira amputada após a descoberta de um tumor.
O cão Geraldo teve a pata dianteira amputada após a descoberta de um tumor. Crédito: Divulgação | Instagram @patinhascarentes

Um verdadeiro guerreiro! Assim pode ser definido o Geraldo, um cãozinho sem raça definida (SRD) com cerca de 13 anos, considerado mascote do Patinhas Carentes. E até mesmo os mais bravos guerreiros precisam de armaduras e com esse doguinho não seria diferente, mas ele necessita é de um andador. Após se recuperar de um acidente e passar por muitos problemas de saúde nos últimos anos, o animal precisou ter uma pata amputada. O grupo, então, deu início a uma campanha de solidariedade para juntar dinheiro na esperança de melhorar qualidade de vida do animal  — que enfrenta dificuldades de locomoção.

A história de Geraldo é longa. Segundo Priscila Siqueira, uma das voluntárias do grupo, o cão foi resgatado em 2012, por outra ONG que ajuda animais, após ser atropelado por um carro na Avenida Fernando Ferrrari, em Vitória. “Entretanto, eles não tinham condições de arcar com todos os tratamentos dos problemas de saúde do cãozinho e, desde então, ele se tornou parte da família do ‘Patinhas Carentes’”.

O cão Geraldo teve a pata dianteira amputada após a descoberta de um tumor.
Cãozinho Geraldo é cuidado pelo grupo Patinhas Carentes. Crédito: Divulgação | Instagram @patinhascarentes

Durante esses nove anos desde o acidente, o cão Geraldo vem fazendo vários procedimentos para se recuperar. Ele passou por cirurgias para a colocação de pinos nas duas patas dianteiras e, após complicações no pós-operatório, foi diagnosticado com um tumor ósseo muito agressivo chamado osteossarcoma, comumente associado à dor local, como também a alterações ósseas.

“Após a descoberta do tumor, infelizmente, tivemos que tomar uma das decisões mais difíceis: tínhamos a alternativa de um tratamento conservador onde ele sentiria muita dor ou a amputação da pata, onde passaria por dias difíceis, mas com chances de sobrevida. Tentamos o caminho conservador, até que não foi possível e tivemos que amputar a patinha como única alternativa de dar qualidade de vida e aumentar o tempo dele com a gente", explica Priscila. 

Após ter a pata dianteira direita amputada, Geraldo tem apresentado dificuldades para se locomover apenas com três patas. "Ele está se adaptando a cada dia, mas, sabemos que com a ajuda extra do andador adaptado, ele teria muito mais liberdade e mobilidade", comenta a voluntária do Patinhas Carentes. 

Geraldo se locomove com dificuldade após ter a pata amputada

CAMPANHA PARA PROVIDENCIAR O ANDADOR

Com mais de 43 mil seguidores na rede social, o grupo tem agora a missão de mobilizar as pessoas para conseguir arrecadar a quantia necessária para a compra da cadeira de rodas, também conhecida como "modelo especial de andador", que tem o custo total de R$ 1,96 mil "Com esse equipamento ele vai conseguir andar, fazer todos os tipos de exercícios, além de entrar na água, tomar banho e fazer suas necessidades fisiológicas, sendo muito especial para a retomada da sua autonomia". 

Segundo Priscila, qualquer valor de doação é válido. Quem quiser ajudar, pode entrar em contato pelas redes sociais do "Patinhas Carentes", pelo email: [email protected] ou colaborar pelos meios abaixo:

Conta no Banestes

  • Agência: 0055
  • Conta Corrente: 3027260-3
  • CNPJ: 28.674.658/0001-06
  • ARTAAV - PATINHAS CARENTES

Pix:  28674658000106

Picpay: @patinhas.carentes

A Gazeta integra o

Saiba mais
Saúde Mundo Animal cachorro Saúde

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.