ASSINE

Vencedores do Vitória Rock Festival comemoram título e já colhem frutos

A banda Dublin já recebeu contatos para shows em Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia em menos de 72h

Publicado em 03/12/2018 às 14h40
O músico André Prando, vencedor do Vitória Rock Festival 2018. Crédito: Ciro Trigo
O músico André Prando, vencedor do Vitória Rock Festival 2018. Crédito: Ciro Trigo

O músico André Prando e a banda Dublin têm um motivo a mais para comemorar o ano de 2018. É que eles conquistaram o prêmio de primeiro lugas nas categorias autoral e banda cover, respectivamente, na 2ª edição do Vitória Rock Festival, que aconteceu na Arena Shopping Vitória, no último sábado (1). De lá para cá, outros contatos para shows e parcerias profissionais surgiram frutos da divulgação dos próprios trabalhos.

Ao atender o telefonema da reportagem, na manhã desta segunda-feira (3), André Prando já estava a caminho de São Paulo, onde participa de evento internacional de música. Lá, fica até o fim desta semana. Rodolfo Toniati, o baixista da Dublin, também já recebeu contatos profissionais de produtores de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia. Os dois brindam esse retorno e relatam que a ideia de se promoverem em um festival é, justamente, conquistar mercado e divulgar para novas pessoas o próprio trabalho.

Foi a primeira vez que André participou do evento e, para ele, apresentar sua música a um público diversificado é das maiores vantagens que viu durante o festival. "Misturei várias músicas do meu repertório justamente porque queria fazer um show que mostrasse meu talento a quem não me conhece o trabalho que eu faço. Então, queria que o pessoal interagisse bem. Também toquei algumas do álbum novo ("Voador") e a recepção da galera foi muito boa", conclui.

André Prando, músico

É sempre engrandecedor participar desses eventos. Você tem uma troca com os outros que estão se apresentando, e é legal porque, na maioria das vezes, já nos conhecemos da cena do Espírito Santo

Rodolfo destaca que, nesta edição, eles conseguiram cumprir as metas que estabeleceram. É que a Dublin, que faz cover do U2, já participou de uma edição do festival e acabou eliminada. "Neste ano, queríamos chegar à final. E, quando fomos classificados, nosso objetivo já passou a ser ganhar o festival", brinca ele, que é baixista da banda composta por quatro integrantes.

A banda Dublin, vencedora do Vitória Rock Festival 2018. Crédito: Ciro Trigo
A banda Dublin, vencedora do Vitória Rock Festival 2018. Crédito: Ciro Trigo

O músico afirma que eles não esperavam ganhar porque já haviam tido a experiência frustrada antes, mas comemoram o fato de até já colherem frutos da conquista.

Segundo o baixista, desde o último sábado (1º), a banda já recebeu telefonemas de produtores de quase todo o Sudeste brasileiro, o que é considerado um incentivo pelos componentes. "Estamos muito felizes. No segmento cover, nós também ficamos bastante contentes de ver que a cena está bem representada no Estado e toda essa competitividade do evento gera mais qualidade para a música", avalia.

Rodolfo Toniati, baixista da banda Dublin

O festival é o momento de divulgar a nossa música para quem está lá. Não dá para viver de festival, tem que pensar no evento com visão, com o foco mais macro em mostrar o próprio trabalho para o máximo de gente possível

BOA FASE

André, especialmente, está passando pelo que é, até hoje, uma das melhores fases da jovem carreira que já possui. Ele acaba de lançar seu segundo álbum autoral, "Voador", e fará o lançamento do CD em São Paulo e no Espírito Santo. "Estou indo para São Paulo participar da Semana Internacional de Música, lá vou me apresentar em um dia da programação e depois volto para, no dia 11 de dezembro, lançar o álbum em Vitória, com show no Centro Cultural Sesc Glória", adianta.

Ele confirma que realmente passa por um momento gratificante profissionalmente falando e reitera que o festival, por exemplo, significa motivação. "Motivação de ir para frente, seguir com o nosso trabalho e levar nossa música para outros ambientes. Todo esse movimento, que gera retorno, é sempre positivo", conclui.

A Gazeta integra o

Saiba mais
capixaba espírito santo música capixaba espírito santo

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.