ASSINE

CineMarias: inscrições para curso de cinema no ES são prorrogadas

As inscrições para as 60 vagas, agora, vão até o dia 1° de março pela internet. Curso começa no dia 8 de março em formato semipresencial

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 25/02/2021 às 17h20
Kênia Freitas, Eliza Capai, Liliana Montserrat, Luana Laux e Maíra Oliveira: algumas das ministrantes e professoras do CineMarias
Kênia Freitas, Eliza Capai, Liliana Montserrat, Luana Laux e Maíra Oliveira: algumas das ministrantes e professoras do CineMarias. Crédito: CineMarias/Divulgação

As inscrições para jovens mulheres de comunidades periféricas da Grande Vitória participarem da primeira edição do projeto Cinemarias foram prorrogadas. Agora, as interessadas têm até o próximo dia 1º de março para se inscreverem por meio de formulário na internet. Como requisito, as inscritas têm que ter entre 18 e 29 anos e serem cadastradas no Cadastro Único (Cadúnico).

As participantes poderão se embasar na própria experiência de vida para elaborar as narrativas poéticas e têm a oportunidade de receber até R$ 600 de bolsa do evento, que é promovido com recursos da Lei Aldir Blanc.

“O evento, por si só, é algo muito maior. É um laboratório imersivo, como chamamos. Ele tem seminário, curso introdutório, de linguagem cinematográfica, edição e uma oficina de realização, que vai ter como base denúncias da Lei Maria da Penha para elaboração dos curtas, que são filmes poesia. Nessas produções, que serão exibidas no final de tudo, elas vão poder misturar ficção com a narrativa delas em documentário, que traz o teor dos registros da denúncia, no caso”, explicou Luana Laux, diretora de Programação do CineMarias e instrutora da oficina de realização, em entrevista ao Divirta-se.

Das 60 vagas ofertadas, 40 são para atividades avulsas, ou seja, para quem quer participar apenas de parte da programação do evento. Essas vão receber bolsas de R$ 400. As outras 20 vagas são para as interessadas em participar de toda a grade do curso e vão receber bolsa de R$ 600 para ajudar nos custos. “No final, haverá mostra virtual com os resultados e vamos produzir quatro filmes”, adiantou Luana.

A diretora de Programação do evento diz que toda a programação foi pensada para ensinar mulheres que nunca tiveram experiência com o audiovisual antes. E o tema escolhido foram as denúncias da Lei Maria da Penha como forma de combate à violência contra a mulher e feminicídio – índices que são sempre altos no Estado.

“O projeto é voltado para quem não tem experiência, começamos do básico mesmo. Começamos com o seminário justamente por isso, para alimentar as discussões das participantes. E depois a gente vai parar os cursos até chegar ao momento da realização dos filmes na oficina”, planejou.

Para Luana, mesmo que nunca tenham sido vítimas de violência, essas mulheres estarão em posição de destaque para debater os casos que são registrados na Lei Maria da Penha.

“Hoje em dia, se discute muito o quão invisibilizadas são essas vítimas, essas mulheres que sofrem com isso. Então a ideia é debater o tema, que é um tabu, para que ele volte à agenda de discussões. Na pandemia, por exemplo, nós vimos casos aumentarem, o quanto a violência contra a mulher ficou eminente no Estado e no Brasil”, justificou.

PROGRAMAÇÃO

  • DE 8 A 13 DE MARÇO
  • Rodas de bate-papo.
  • Workshop 1: “A tela por elas: resistência, poesia e representação da mulher no audiovisual” (Com Eliza Capai).
  • Workshop 2: Afrofuturismo - Fabulando futuros negros ( Com Kênia Freitas).
  • Workshop 3: "A história que eles contam" (Com Andrea Palermo e Maíra Oliveira).
  • Mesa redonda 1: "Imprensa, voz e a agenda de direito das mulheres": tendências e práticas da cobertura jornalística sobre a violência de gênero e das novas narrativas criadas por mulheres ocupando espaços de poder.
  • Mesa redonda 2: “Direitos e Segurança da Mulher”: a garantia da vida e dos direitos das mulheres e os serviços de acolhimento às vítimas de violência.
  • Mesa redonda 3: ”A Dona da História”: a mulher como autora protagonista de suas próprias narrativas audiovisuais".

  • DE 15 DE MARÇO A 9 DE ABRIL
  • Curso: “Voz e Introdução à Criação de Roteiro” (professora Melina Galante)
  • Curso: “O olhar, a tela e a linguagem cinematográfica” (professora Liliana Montserrat)
  • Curso: “Somos todas montadoras: introdução ao pensamento, teoria da montagem e técnicas de edição” (professora Carol Covre)
  • Oficina de vídeo-poesia Existo Porque Resisto (facilitadoras Luana Laux e Liliana Montserrat)

SERVIÇO

  • CineMarias
  • Local: programação virtual e semipresencial (cursos e oficinas) com parte presencial ministrada na Movive (R. Afonso Pena, Praia da Costa, Vila Velha)
  • Data: inscrições até o dia 26 de fevereiro via formulário pela internet (clique aqui). Evento acontece entre 8 de março e 9 de abril com programação que será pré-divulgada
  • Informações: pelo site do CineMarias

A Gazeta integra o

Saiba mais
Cinema Espírito Santo capixaba capixaba espírito santo Lei Aldir Blanc

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.