ASSINE

Além da Netflix: confira as plataformas de streaming com foco no cinema autoral

Em meio a serviços recheados de blockbusters, há opções alternativas com catálogos que primam pela curadoria

Publicado em 25/04/2021 às 15h00
Maratonar séries, Netflix, streaming
O último ano teve um aumento do número de plataformas de streaming disponíveis para o público brasileiro. Crédito: Pixabay

A crescente concorrência no mercado de plataformas de streaming de filmes e séries pode provocar uma certa confusão no aspirante a cinéfilo mais incauto, ainda mais com os numerosos novos serviços que não param de surgir. No entanto, se a predominância do setor ainda é das grandes empresas que exibem os blockbusters, como Netflix, Amazon, Disney e HBO, há também uma safra em ascensão de plataformas alternativas que prezam por uma curadoria mais cuidadosa e apostam no cinema autoral. Confira:

RESERVA IMOVISION

A mais recente adição à acirrada guerra do streaming no Brasil é a plataforma Reserva Imovision. Iniciativa capitaneada por Jean Thomas Bernardini, o serviço é uma parceria da Reserva Cultural com a distribuidora Imovision e chega ao País com 250 filmes em seu catálogo e com a intenção de chegar a mil filmes até o final do ano.

O grosso do catálogo da Reserva Imovision vem do circuito dos festivais de cinema ao redor do mundo, com filmes de diretores consagrados como Hector Babenco, Claire Denis, Abel Ferrara, Jean-Luc Godard, Robert Guédiguian, François Ozon, Wim Wenders e Michael Haneke.

O catálogo do Reserva Imovision pode ser acessado por dois métodos: assinatura ou aluguel de filmes avulsos por 72h. A assinatura mensal custa R$ 24,50 e a anual, R$ 245.

'Amor', de Michael Haneke, estreia no Reserva Imovision
'Amor', de Michael Haneke, estreia no Reserva Imovision. Crédito: Reserva Imovision

BELAS ARTES À LA CARTE

Neste mês, a plataforma de streaming do Petra Belas Artes completa um ano de funcionamento. A iniciativa, que surgiu por conta da necessidade de isolamento social motivada pela pandemia do novo coronavírus, que obrigou as salas de cinema a fecharem suas portas em 2020, acabou se tornando uma excelente ferramenta de difusão de filmes mais autorais.

Para celebrar o primeiro aniversário, o Belas Artes à la Carte, estreia quatro mostras: Cinefantasy (até 29 de abril), Festival Internacional de Cinema em Balneário Camboriú (até 30 de abril), Festival Cinema Brasileiro: Anos 2010 (10 olhares) (até 30 de abril) e o Volta ao Mundo: Suíça (de 6 a 19 de maio).

O Belas Artes à la Carte conta com cerca de 400 longas em seu catálogo fixo, de diretores como Andrei Tarkovski, Akira Kurosawa, Fritz Lang, Ang Lee, Woody Allen, Pier Paolo Pasolini, Luchino Visconti, Luis Buñuel, Francis Ford Coppola, Roman Polanski E Stanley Kubrick. A assinatura mensal custa R$ 9,90 e a anual, R$ 108,90.

'Gaviões e Passarinhos', filme do diretor italiano Pier Paolo Pasolini
'Gaviões e Passarinhos', filme do diretor italiano Pier Paolo Pasolini. Crédito: Belas Artes à la Carte

MUBI

Outra plataforma focada em curadoria e que busca sua matéria-prima nos festivais que acontecem ao redor do mundo é o Mubi, que aposta também no catálogo rotativo, apresentando um filme novo e exaustivamente selecionado todos os dias, além de um cardápio fixo.

No Mubi, é possível encontrar filmes de cineastas como o brasileiro Kléber Mendonça Filho, a sino-americana Chloé Zhao, a francesa Agnès Varda, o americano Darren Aronofsky, o francês Eric Rohmer e o italiano Gianfranco Rosi. A assinatura custa R$ 27,90 ao mês.

'Songs My Brothers Taught Me', da sino-americana Chloe Zhao, diretora de 'Nomadland'
'Songs My Brothers Taught Me', da sino-americana Chloe Zhao, diretora de 'Nomadland'. Crédito: Mubi

LOOKE

Uma mescla de plataforma de filmes de arte com um catálogo que também conta com obras mais populares, o Looke disponibiliza 14 mil títulos em seu menu. O Looke traz de clássicos de Ridley Scott e Steven Spielberg a obras mais recentes de autores como Christopher Nolan e Alex Garland, oferecendo também a possibilidade de alugar ou até comprar filmes avulsos. A assinatura mensal custa R$ 16,90 e dá direito a três pontos de acesso simultâneos.

Cena do longa
Cena do longa "Tenet", com John David Washington e Robert Pattinson, lançado durante a pandemia da covid-19. Crédito: Warner Bros.

MGM

No catálogo do streaming da MGM estão desde comédias de Woody Allen e Billy Wilder a faroestes de Sergio Leoni e Anthony Mann, passando por musicais clássicos como West Side Story e Fiddler on the Roof, entre outros filmes. A assinatura mensal da MGM, à parte do valor pago pela assinatura da Amazon Prime, é R$ 14,90.

'West Side Story', musical clássico de Robert Wise e Jerome Robbins com músicas de Leonard Bernstein
'West Side Story', musical clássico de Robert Wise e Jerome Robbins com músicas de Leonard Bernstein. Crédito: MGM

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.