ASSINE

O copo meio cheio do Orçamento capixaba para 2020

Tão importante quanto a expectativa de cofres mais cheios no próximo ano é o compromisso que o governo estadual firma com o contribuinte

Publicado em 04/10/2019 às 05h00
Atualizado em 04/10/2019 às 05h02
Governo divulgou como vai usar o dinheiro do contribuinte em 2020. Crédito: Pixabay
Governo divulgou como vai usar o dinheiro do contribuinte em 2020. Crédito: Pixabay

O otimismo do Executivo estadual que ficou estampado no Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) para o próximo ano se apoia na expectativa do crescimento de receitas. O Estado pretende arrecadar em 2020 R$ 19,7 bilhões, montante 11,45% maior que o deste ano. É considerável, mesmo que ainda sejam somente projeções. Mas tão importante quanto a expectativa de cofres mais cheios no próximo ano é o compromisso que o governo estadual firma com o contribuinte. E há decisões que merecem ser celebradas.

A aceleração dos investimentos, diante das carências de infraestrutura que se acumulam, é uma decisão acertada. Principalmente por dar destaque ao que se mostra como prioridade para o governo. Somente com investimentos próprios, estão previstos R$ 720 milhões. No planejamento de 2019, o valor passou pouco da metade, chegando a R$ 381,7 milhões. Quando  todas as fontes de recursos são consideradas, como os empréstimos, o valor é de R$ 1,6 bilhões, o que é 26,9% maior que o do último planejamento.

Enquanto isso, o crescimento da despesa com pessoal crescerá 6,8%, um aumento mais racional para custear o reajuste do próximo ano, ainda sem percentual. Em 2020, R$ 9,25 bilhões serão para esse fim. Mesmo que o rombo da Previdência ainda vá sugar R$ 2,3 bilhões, há um evidente sinal de preocupação em tentar equilibrar esse gasto. 

O Palácio Anchieta está confiante em um cenário mais próspero para garantir o fermento do bolo do Orçamento. A volta da Samarco, ainda não garantida, é a locomotiva dessa composição repleta de otimismo, que carrega também o possível aumento de royalties e a recuperação da Vale. A possível frustração de receitas, portando, deve estar sempre no radar. O que não diminui o mérito pelas boas escolhas orçamentárias.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.