ASSINE

Quanto mais para futuro reforma ficar, mais dura ela será, diz Guedes

Mais uma vez, o ministro da Economia considerou não ser razoável que a reforma administrativa atinja direitos passados dos servidores que já estão na ativa

Publicado em 05/04/2021 às 17h23
Atualizado em 05/04/2021 às 17h23
O ministro da Economia, Paulo Guedes, durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto.
O ministro da Economia, Paulo Guedes, durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto. Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, ameaçou nesta segunda-feira (05) com uma reforma administrativa mais dura no futuro caso o projeto enviado pelo governo ao Congresso não seja aprovado no curto prazo. "Estamos colocando parâmetros parecidos com os do resto do mundo. Seria um erro muito grande atrasar essa reforma agora, porque quanto mais para o futuro reforma administrativa ficar, mais dura ela vai ser. Se deixar para outro governo lá na frente, ele será muito mais duro", ameaçou, em videoconferência com a XP Investimentos.

Mais uma vez, o ministro considerou não ser razoável que a reforma administrativa atinja direitos passados dos servidores que já estão na ativa. "Acho que as leis devem ser prospectivas e aplicadas daquele momento para frente", considerou.

Ainda assim, ele voltou a projetar a aprovação de reformas estruturais ainda em 2021. "Acho que o Congresso está pensando nesse tempo. A administrativa é candidato natural é mais fácil que tributária. Mas seria muito bom ver as duas reformas aprovadas até fim do ano", afirmou.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.