ASSINE

"Brasil terá a melhor Previdência do mundo", diz Leonardo Rolim

Em evento realizado em Vitória, secretário de Previdência diz que o Brasil tem obrigação de corrigir erros que foram cometidos em outros países

Publicado em 03/05/2019 às 12h33
Leonardo Rolim, Aridelmo Teixeira e Bruno Funchal em evento na Fucape. Crédito: Daniel Alencastre | Divulgação
Leonardo Rolim, Aridelmo Teixeira e Bruno Funchal em evento na Fucape. Crédito: Daniel Alencastre | Divulgação

O secretário de Previdência do Ministério da Economia, Leonardo Rolim, disse que o Brasil vai ter a melhor Previdência do mundo. Isso porque, como o Brasil está fazendo a reforma previdenciária agora, tem condições de corrigir possíveis erros observados em outros países.

“É até uma obrigação que a gente tem. Quem implanta por último não tem o direito de repetir os erros dos outros. Pelo contrário. Tem que aproveitar o que deu certo. Como a gente está entrando depois, é até uma obrigação que a gente aproveite o que tem de melhor nas experiências do mundo inteiro”, disse o secretário durante o lançamento do Inspira ES, programa de capacitação civil desenvolvido pelo professor Aridelmo Teixeira, em Vitória.

Rolim ainda reclamou da quantidade de notícias falsas que têm sido lançadas a respeito da reforma, dificultando o entendimento da proposta. “Já vi nas redes sociais uma publicação dizendo que o trabalhador que hoje ganha um salário mínimo, com o regime de capitalização vai passar a ganhar R$ 280. Isso é querer enganar as pessoas. Está claro lá que ninguém vai ganhar menos do que um salário mínimo”, explicou ele, dizendo que é hora de aprovar a proposta.

Quem também está trabalhando pela aprovação da reforma é a deputada federal Joice Hasselmann (PSL), líder do governo no Congresso. Ela afirmou que espera conseguir 340 votos para a aprovação do projeto na Câmara dos Deputados – para aprovar são necessários 308. “Eu preciso contar com as traições de última hora. Com deputados que vão perder o voo, que vão ter dor de barriga, que vão 'matar a avó' pela quinta vez... Por isso eu trabalho com o número de 340”, disse Joice sem informar quantos votos já tem para a aprovação da reforma.

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL), líder do governo no Congresso. Crédito: Valter Campanato
A deputada federal Joice Hasselmann (PSL), líder do governo no Congresso. Crédito: Valter Campanato

A deputada, uma das convidadas do evento, disse ainda que é hora de descer do palanque e trabalhar pela melhoria do país – melhoria esta que, para Joice, só vai acontecer com uma reforma que gere uma economia de cerca de R$ 1 trilhão. “Nós contamos com a população. É preciso que ela cobre que o parlamentar vote a favor da reforma. Foi a população que mudou a história do Brasil de uma forma única. Trazer a população para dentro da articulação política é o que podemos fazer de mais lógico”, comentou.

Também participou do evento o diretor de Programas do Ministério da Economia, Bruno Funchal, que falou sobre os impactos positivos da reforma da Previdência. “Com essa reforma que está posta, temos encaminhado um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), a redução do juros, redução do desemprego, entre outros fatores”, disse Bruno durante sua palestra.

O organizador do evento, Aridelmo Teixeira, ficou satisfeito com o resultado. “Superou nossas expectativas. Antes, você fazia esses encontros e vinham dez, 15 pessoas. Hoje, as inscrições se encerraram em 72 horas. Você vê que a sociedade está mudando”, comemorou.

A Gazeta integra o

Saiba mais
jair bolsonaro previdência psl reforma da previdência

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.