ASSINE
Graduado em Economia pela Ufes, com MBA em Gestão Financeira e Controladoria pela FGV e pós-graduando em Negócios Digitais pela USP. Atua há 14 anos no setor bancário e atualmente ocupa o cargo de Superintendente de Meios de Pagamento, Investimentos e Inovação do Banestes

Fundos DI: boa alternativa para investir sua reserva de emergência

Esses fundos podem ser uma alternativa segura e rentável para quem quer investir de forma conservadora, com alta liquidez e sem abrir mão de um bom rendimento

Vitória
Publicado em 12/04/2022 às 11h25

Os Fundos de Renda Fixa Referenciados DI, ou Fundos DI, devem investir, no mínimo, 95% dos recursos do fundo em títulos públicos ou privados de baixo risco atrelados ao CDI. O restante pode ser investido de acordo com a legislação para fundos de curto prazo.

Perfil de risco

O desempenho desses fundos é bastante previsível e são considerados investimentos conservadores.

Apesar de não contar com a garantia do Fundo Garantidor de Crédito, a carteira dos fundos DI é composta, em maior parte, por títulos públicos do Tesouro Direto atrelados à Selic ou em títulos privados de baixo risco.

Cofrinho: poupador tem opções de investir em novos papéis do Tesouro Direto
Independentemente do perfil, todo investidor precisa ter uma reserva de emergência. Crédito: Pixabay

Além disso, as decisões de investimento dos recursos do Fundo DI são realizadas por um gestor certificado e que possui mecanismos de segurança contra o risco de crédito e são altamente regulados pela CVM – Comissão de Valores Mobiliários.

Liquidez

Outro atributo importante dos fundos DI é que sua liquidez é diária e, em muitos casos, chega a ser imediata. Por isso, esses fundos são utilizados como ferramentas para fluxo de caixa ou reserva de emergência.

Além de serem uma das melhores opções para o perfil de investidor mais conservador, os fundos DI são amplamente utilizados por investidores moderados ou arrojados para compor suas carteiras. Pois, independentemente do perfil, todo investidor precisa ter uma reserva de emergência.

Rentabilidade

A rentabilidade do CDI cresceu muito, a taxa mensal hoje é quatro vezes maior do que a de 12 meses atrás. Com isso, a rentabilidade dos Fundos DI tendem a acompanhar este crescimento.

O gestor acompanha a carteira do fundo todos os dias, de modo a realizar as alocações necessárias para alcançar o objetivo de seguir ou ultrapassar o rendimento de 100% do CDI, mesmo após descontada a taxa de administração.

De um modo geral, os fundos DI rendem mais do que a poupança e até mesmo mais do que o Tesouro Direto.

Já os CDBs, podem render mais do que os fundos DI. Mas, geralmente, eles exigem um investimento mínimo maior e um prazo de investimento maior (menor liquidez).

Existem CDBs que possuem liquidez diária. No entanto, eles também costumam apresentar um rendimento inferior a 100% do CDI e um investimento mínimo maior.

Os fundos DI são, portanto, uma alternativa segura e mais rentável para o rendimento da reserva de emergência. Aos investidores interessados em saber mais, a dica é procurar a orientação do gerente do seu banco, que vai fazer uma avaliação do seu perfil de investidor e te explicar com mais detalhes os riscos e as opções de investimento mais adequadas para você ou sua empresa.

Este vídeo pode te interessar

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Vicente Duarte dinheiro Investimentos Renda Fixa

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.