ASSINE
Jornalista de A Gazeta desde 2008 e colunista de Política desde 2015. Publica aqui, diariamente, informações e análises sobre os bastidores do poder no Espírito Santo

Ted Conti pode ser o novo vice de Max Filho em Vila Velha?

Especulação tem crescido na cidade: se Ted, hoje deputado federal, formar chapa com Max e eles vencerem em outubro, o atual vice-prefeito, Jorge Carreta, assume o lugar dele na Câmara dos Deputados

Publicado em 15/02/2020 às 12h00
Atualizado em 15/02/2020 às 15h44
Max Filho e Ted Conti: será que dá liga?. Crédito: Fernando Madeira e Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Max Filho e Ted Conti: será que dá liga?. Crédito: Fernando Madeira e Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Em Vila Velha, nos últimos dias, surgiu uma especulação forte envolvendo o deputado federal Ted Conti, do PSB. Segundo alguns analistas do mercado político local, o jornalista poderia ser indicado pelo PSB, partido do governador Renato Casagrande, como vice na chapa do prefeito Max Filho (PSDB) à reeleição. Além de selar a aliança em Vila Velha entre os dois partidos – a qual agradaria muito às duas partes –, essa composição poderia gerar um efeito secundário que é o sonho inconfesso de Max: abrir caminho para que seu vice-prefeito, Jorge Carreta, chegue à Câmara dos Deputados, precisamente na vaga hoje ocupada por Ted.

O raciocínio é um tanto complexo, mas até que faz sentido. Na eleição a deputado federal em 2018, tanto Ted como Carreta (então no Avante) participaram da disputa pela chapa que reunia seus dois partidos, PSB e Avante, além de PV, PSC, PTC e PPL. Essa perna elegeu dois deputados, ambos do PSB: Felipe Rigoni e Paulo Foletto. Este último, no entanto, tão logo iniciou-se o governo Casagrande, em janeiro de 2018, foi puxado pelo governador para a Secretaria de Estado de Agricultura. Sua vaga foi preenchida, então, pelo 1º suplente da chapa: justamente, Ted Conti.

E quem vem a ser o 2º suplente da mesma chapa, primeiro na “fila sucessória” logo após Ted Conti? O vice de Max, Jorge Carreta. Homem de extrema confiança do prefeito, Carreta já foi até assessor de gabinete de Max quando este esteve na Câmara Federal. Com Carreta deputado federal, Max, de certo modo, por intermédio do aliado, “voltaria” para a Câmara, enquanto seguiria à frente da prefeitura, graças a esse possível acordo com Casagrande envolvendo Ted Conti. Isso, é claro, em caso de vitória na eleição de outubro em Vila Velha.

Assim, com eventual vitória da eventual chapa Max/Ted, este e Carreta inverteriam as posições: Ted, hoje deputado federal, se tornaria vice-prefeito no lugar de Carreta, e vice-versa.

Para Casagrande, esse arranjo também pode soar interessante porque, com um vice do PSB ao lado de Max Filho no próximo mandato (2021-2024), ele de certo modo “segura Max na cadeira de prefeito” e refreia seus ímpetos políticos. Como sabem até as pedras portuguesas do calçadão da Praia da Costa, o grande sonho de Max (e de seu pai, Max Mauro, para o filho) é chegar ao Palácio Anchieta. Mas, se ele se lançar a governador em 2022, contra Casagrande, e eventualmente ganhar, quem assume a Prefeitura de Vila Velha é um aliado e correligionário do atual governador.

NADA FEITO. POR ENQUANTO…

Para tudo isso se concretizar, porém, Ted teria que topar ser vice na chapa de Max – poderia ser convencido por Casagrande, a quem mostra imensa lealdade. Por enquanto, porém, tudo não passa de especulação pré-eleitoral. Falei com várias pessoas ligadas a Ted, a Carreta, a Max e à direção do PSB. Todas disseram que, concretamente mesmo, não há conversas nesse sentido. Pelo menos por enquanto.

Segundo fontes do PSB, Ted Conti segue na condição de pré-candidato do PSB a prefeito de Vila Velha – conforme lançamento feito em janeiro. Por enquanto, ainda não transferiu o seu domicílio eleitoral de Guarapari para Vila Velha – tem até o dia 4 de abril para o fazer.

E CARRETA PODE MESMO SUBIR PARA A CÂMARA???

Recentemente, Carreta trocou o Avante pelo Progressistas (PP), partido que não estava na mesma chapa na eleição a deputado federal em 2018. Nesse caso, será que ele ainda assim pode “subir” para a Câmara como 2º suplente na vaga de Ted (a qual, na verdade, é de Foletto)? Pode, sim, desde que o Avante não reclame o mandato na Justiça Eleitoral.

No cenário em que uma chapa Max/Ted ganhe a eleição de outubro em Vila Velha, Carreta tomará posse na Câmara dos Deputados – o que poderá ocorrer até durante o recesso parlamentar de janeiro de 2021. A partir daí, o Avante terá 30 dias contados da posse para requerer o mandato por infidelidade partidária. Isso se o Avante tiver suplente. No Espírito Santo, o candidato mais votado do partido a deputado federal depois de Carreta em 2018 foi Alexandre Cola, com módicos 2.095 votos.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.