ASSINE
Jornalista de A Gazeta desde 2008 e colunista de Política desde 2015. Publica diariamente, informações e análises sobre os bastidores do poder no Espírito Santo

Possível ida de Assumção pro Patriota gera nova treta na direita capixaba

Em nova briga autofágica na direita do ES, o juiz aposentado Doutor Pinheiro sai do Patriota atirando em Rafael Favatto, dizendo-se traído por ele e chamando Assumção de "esquerda radical" (?!?). Entenda a briga

Publicado em 27/03/2020 às 12h46
Atualizado em 27/03/2020 às 13h09
Doutor Pinheiro, Rafael Favatto e Capitão Assumção
Doutor Pinheiro, Rafael Favatto e Capitão Assumção. Crédito: Reprodução Facebook e Assembleia Legislativa

Já fora do PSL, o deputado estadual Capitão Assumção tem convite quente do presidente estadual do Patriota, o também deputado Rafael Favatto, para se filiar e concorrer à Prefeitura de Vitória pela legenda. Segundo Favatto, "só depende de Assumção". Esse flerte aberto entre os dois foi o estopim de nova briga aberta no seio da direita conservadora capixaba nesta quinta-feira (26), envolvendo os dois deputados e o juiz de direito aposentado Doutor Pinheiro, que saiu do Patriota indignado e atirando em Favatto e Assumção.

Até esta quinta-feira (26), Pinheiro se apresentava como pré-candidato a prefeito de Vitória pelo Patriota. Mas, no último dia 19, a coluna publicou declaração do presidente estadual do partido, Rafael Favatto, de que Assumção poderia se candidatar à prefeitura pelo Patriota se resolvesse a sua situação (agora já resolvida) perante a Justiça Eleitoral e se aceitasse o convite de filiação.

Pinheiro não gostou nem um pouco disso. Saiu do partido chutando o balde.

Em postagem feita nesta quinta-feira em sua página no Facebook, o juiz aposentado desabafou. No post, ele diz ter sido enganado e traído por Favatto. Também afirma que foi Favatto quem o convidou para ser candidato a prefeito pelo Patriota.

Quando soube da informação sobre o convite a Assumção, Pinheiro foi cobrar satisfações a Favatto. Diz que não recebeu nenhuma. Passados alguns dias, o presidente municipal do Patriota confirmou tudo a ele. Pinheiro, então, decidiu romper com o partido e com Favatto.

No desabafo, ele chega a chamar Favatto de “esquerdista” e Assumção (pasme) de “esquerda radical” – o que costuma representar as piores “ofensas” que “direitistas” podem endereçar a adversários políticos, mesmo àqueles pertencentes ao mesmo campo.

“Patriotas jamais, não posso estar ao lado de pessoas de esquerda, principalmente da esquerda radical como o Capitão Assumção”, escreveu o juiz aposentado.

Com a sua saída do Patriota, o caminho fica totalmente aberto para Assumção entrar no partido com a legenda para se candidatar a prefeito da Capital.

É BRIGA ATRÁS DE BRIGA

Na verdade, até o fim do ano passado, Doutor Pinheiro estava filiado ao PSL, partido pelo qual disputou, sem êxito, uma vaga de deputado federal em 2018. Ele já se apresentava como pré-candidato a prefeito. Em outubro passado, rompeu com Carlos Manato, então presidente estadual do PSL. Em vídeo publicado em novembro em suas redes sociais, acusou “o pessoal do PSL do Espírito Santo” de ter traído Bolsonaro.

Nos primeiros meses do ano, grupos políticos de direita começaram a organizar atos para a coleta de assinaturas visando à fundação do partido projetado por Bolsonaro, o Aliança pelo Brasil. Novamente, houve um desentendimento, do Movimento Conservador (que já tinha dissidentes do PSL) com o grupo de Manato, pela legitimidade para liderar esse movimento – no fundo, uma antecipação da disputa pelo comando do futuro partido no Estado.

Agora, Pinheiro sai do Patriota criticando o presidente estadual da sigla, assim como fez poucos meses antes, ao sair do PSL.

Deixando o Patriota, é possível que ele vá para o PRTB para viabilizar candidatura a prefeito.

Em suma: em um intervalo de cerca de seis meses, o pré-candidato estava no PSL; do PSL foi para o Patriota; deste pode ir para o PRTB; mas o que almeja mesmo é ingressar no Aliança, tão logo o partido esteja fundado.

CONSTATAÇÃO: DIREITA AUTOFÁGICA

Partidos de esquerda, como o PT, o PSOL e o PCdoB, são conhecidos por tradicionalmente brigarem muito entre si – e muitas vezes dentro do mesmo partido – e por supervalorizarem as suas diferenças. Isso não raro atrapalha a união necessária para derrotarem adversários em comum.

Mas, ultimamente, a direita no Espírito Santo deve estar deixando esses partidos de esquerda sentindo muita inveja! Seus representantes têm mostrado capacidade ainda maior de brigarem entre si e de se destruírem mutuamente.

Pela alma de Enéas Carneiro, como brigam!

ASSUMÇÃO “ESQUERDA RADICAL?!?”

Essas pelejas da direita contra a direita também têm proporcionado algumas formulações e concepções curiosas – para não dizer bizarras. Favatto um “esquerdista”? Pior: Assumção um “radical de esquerda”?!? Faz tanto sentido quanto dizer que Jean Wyllys ou Marcelo Freixo são “radicais de direita”.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.